Prefeitura dará suporte psicológico para pacientes com Covid-19

Por
· 1 min de leitura
Foto: Diogo ZanattaFoto: Diogo Zanatta
Foto: Diogo Zanatta
Você prefere ouvir essa matéria?

Na campanha Janeiro Branco, que aborda os cuidados com a saúde mental, o prefeito de Passo Fundo, Pedro Almeida, anunciou um importante reforço no enfrentamento ao coronavírus. A Prefeitura disponibilizará acompanhamento psicológico às pessoas diagnosticadas com Covid-19 e que foram atendidas pela rede municipal.

O projeto de Lei que viabiliza a contratações de psicólogos, encaminhado pela Prefeitura à Câmara que Vereadores, foi aprovado nesta quarta-feira (20) durante sessão extraordinária. Os profissionais serão contratados em caráter emergencial, a partir de processo seletivo simplificado.

O prefeito destaca a iniciativa como um necessário suporte à recuperação dos pacientes. “Avaliando o processo de atendimento desde que a comunidade chega às unidades de referência, identificamos a importância dessa medida para que haja a reabilitação integral”, enfatiza

O acompanhamento, conforme esclarece a secretária de Saúde, Cristine Pilati, será feito com pessoas que precisam do atendimento. “A Covid-19, além dos sintomas físicos, pode afetar a saúde mental, trazendo medos e preocupações. A rede fará um mapeamento de quem precisa passar pelo serviço”, justifica.


Reforço na rede

Essa é mais uma medida adotada pela gestão no enfrentamento ao coronavírus. Nesta semana, o Centro de Atendimento Integral à Saúde (Cais) Boqueirão passou a funcionar como a segunda unidade de referência no município para atender pessoas com sintomas de Covid, reduzindo a demanda no Cais Petrópolis. Ainda, nesta semana, foram chamados novos médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem para compor as equipes.

Conforme o prefeito, o Município busca ampliar e qualificar o atendimento à população, reavaliando constantemente os processos e planejando novas medidas para suprir as demandas que surgem. “Estamos articulando ações que possam ser implementadas para fortalecer a nossa rede de saúde neste momento de pandemia”, considera.


Gostou? Compartilhe