Vacinação: Passo Fundo já aplicou mais de 70% das doses destinadas à primeira aplicação

As doses recebidas devem durar até o final desta semana

Por
· 1 min de leitura
Daltro Alves D'Avila, de 86 anos, conta que estava esperando sua hora de ser vacinado (Foto: Bruna Scheifler/ON)Daltro Alves D'Avila, de 86 anos, conta que estava esperando sua hora de ser vacinado (Foto: Bruna Scheifler/ON)
Daltro Alves D'Avila, de 86 anos, conta que estava esperando sua hora de ser vacinado (Foto: Bruna Scheifler/ON)
Você prefere ouvir essa matéria?

Com mais de 8,7 mil pessoas vacinadas contra a Covid-19, até a sexta-feira (12), Passo Fundo já aplicou 70,5% das 12.402 doses destinadas à primeira aplicação da vacina. Ao todo, o município recebeu 17.593 doses e aplicou 50% desse total. Nesta segunda-feira (15), a Prefeitura divulgou que foram vacinadas mais 590 pessoas. A expectativa é que as doses durem até o final da semana, de acordo com a Secretária de Saúde, Cristine Pilati.

A maioria dos vacinados, 7.433, são profissionais de saúde. Em Instituições de Longa Permanência para Idosos foram 611 vacinados. Além disso, 92 indígenas aldeados receberam a primeira dose. A cidade também vacinou 223 pessoas acamadas com mais de 60 anos, 332 idosos de 90 a 94 anos e 61 idosos com 95 anos ou mais. Os números são da Secretaria Estadual da Saúde e da Prefeitura de Passo Fundo.

Vacinados

Nesta segunda começou a vacinação para idosos com idades entre 85 a 89 anos e profissionais de saúde, em atividade, de 65 a 69 anos. O dia foi marcado por filas e aglomerações. Os idosos que conseguiram se vacinar comemoraram. “Acho que as coisas vão melhorar, não senti nem a dor da agulha”, disse Maria Eni Fortes Scortegagna, de 87 anos. A idosa recebeu a vacina dentro do carro, acompanhada da família, que fez questão de filmar o momento. Já o aposentado Daltro Alves D'Avila, de 86 anos, pôde ir sozinho receber a vacina. “Estava aguardando o momento de eu ser vacinado. Eu tô me sentindo bem, já estava me sentindo bem porque estava me cuidando, estava quase em um lockdown. Agora eu acho que posso ter um pouquinho mais de liberdade”, disse Daltro, garantindo que irá manter os cuidados, como a máscara.

Um dos profissionais de saúde a procurar a vacina foi o professor do curso de Odontologia da UPF, Carlos Roberto Lago, de 66 anos. “Eu estou super tranquilo porque já passei pela Covid duas vezes, talvez eu já esteja imunizado, mas nunca é demais a prevenção”, ressaltou Carlos. Agora, ele se sente mais confiante para seguir trabalhando. “A gente nunca parou de trabalhar, estamos na linha de frente na Odontologia da UPF, a gente atende pacientes da Prefeitura pelo SUS”, lembrou o professor. 

O professor do curso de Odontologia da UPF, Carlos Roberto Lago, de 66 anos, disse estar se sentindo mais confiante com a vacina (Foto: Bruna Scheifler/ON)


Gostou? Compartilhe