HSVP e Hospital de Clínicas recebem medicamentos do Kit Intubação

Por
· 1 min de leitura
Divulgação/ON Divulgação/ON
Divulgação/ON
Você prefere ouvir essa matéria?

Para dar continuidade à assistência a pacientes graves de Covid-19 intubados em leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), a Secretaria da Saúde (SES) e o Exército Brasileiro irão distribuir, nesta terça-feira (6), 92.799 frascos de sedativos e bloqueadores neuromusculares a 69 hospitais gaúchos. Entre eles estão os hospitais São Vicente de Paulo e Clínicas, de Passo Fundo. Os medicamentos Atracúrio, Cisatracúrio, Midazolam e Rocurônio fazem parte do chamado kit intubação, necessários ao procedimento de ventilação mecânica em pacientes com dificuldades respiratórias. 

O superintendente executivo do Hospital São Vicente de Paulo, de Passo Fundo, Ilário de David, diz que a instituição está dependendo destes medicamentos entregues pela SES e pelo Ministério da Saúde. “Todas as manhãs fazemos a contagem de estoque. Não houve nenhuma situação de falta, mas estamos trabalhando no limite. Somos um polo regional e temos 40 leitos de UTI Covid e 30 leitos não Covid, 100% ocupados. Nossa preocupação é minuto a minuto”, enfatiza.

Essa nova remessa foi enviada pelo Ministério da Saúde, e os critérios de rateio são de competência da SES. O armazenamento e a distribuição são realizados com auxílio do Exército Brasileiro. Os produtos são separados e armazenados no 3º Batalhão de Suprimento, em Nova Santa Rita, e, posteriormente, distribuídos pelo 3º Grupamento Logístico.

A remessa desta semana é composta por 39.825 frascos de Atracúrio, 11.415 de Cisatracúrio, 22.630 de Midazolam e 18.929 de Rocurônio. De acordo com o diretor do Departamento de Assistência Farmacêutica da SES, Roberto Schneiders, esta é uma quantidade importante, porém ainda pequena frente à necessidade dos hospitais. “Estamos fazendo todos os esforços de competência do Estado possíveis para seguirmos abastecendo a rede e, assim, garantir conforto aos pacientes nesse momento difícil”, explica. Para otimizar a distribuição, medicamentos semelhantes ou que produzem o mesmo efeito estão sendo partilhados a hospitais diferentes.


Gostou? Compartilhe