MEDICINA & SAÚDE - Um alerta para importância da vacinação contra gripe em gestantes

Neste período, algumas alterações naturais no organismo favorecem a queda da imunidade na mulher

Por
· 1 min de leitura
Todas as gestantes devem ser vacinadas (Foto – Pixabay)Todas as gestantes devem ser vacinadas (Foto – Pixabay)
Todas as gestantes devem ser vacinadas (Foto – Pixabay)
Você prefere ouvir essa matéria?

O momento de gestação é especial, porém torna o corpo da mulher mais suscetível à ocorrência de infecções. O vírus influenza pode provocar consequências graves como bronquite e pneumonia. “O risco de complicações é muito alto, tanto na gestação como no puerpério. Por isso é fundamental que as gestantes fiquem atentas ao período de imunização”, explica a médica ginecologista e obstetra da Clínica Maternitá, Kenya Netto. A vacinação é uma estratégia eficaz para proteção da mãe e do lactente. Estudos demonstraram que os lactentes de mães vacinadas contra a influenza, apresentaram menor risco de contrair a doença. O alerta, também do Ministério da Saúde, é que não há nenhum risco para a gestante ou para o feto.


Vacina gratuita

Todas as gestantes devem ser vacinadas, em qualquer fase da gestação. Ela é gratuita para as gestantes e puérperas até 45 dias. A campanha nacional de vacinação contra a Influenza (gripe) começou no dia 12 de abril. Assim como no ano passado, a estratégia será em etapas. Nesta primeira, o público-alvo será formado por crianças acima dos 6 meses e menores de 6 anos, gestantes e puérperas (mulheres até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde e povos indígenas, que somados correspondem a uma população de 1,3 milhão de pessoas no Rio Grande do Sul, de acordo com dados da Secretaria Estadual da Saúde. Mais duas etapas estão previstas com início em maio e junho abrangendo outros grupos prioritários.


Gostou? Compartilhe