Vacinação de adolescentes sem comorbidades iniciará nesta sexta-feira (24) em Passo Fundo

Adolescentes com 16 e 17 anos sem comorbidades poderão receber a primeira dose da vacina contra a Covid-19 no CTG Lalau Miranda.

Por
· 2 min de leitura
O governo estadual decidiu ontem (21) pela continuação da vacinação desse público (Foto: Bruna Scheifler/ON)O governo estadual decidiu ontem (21) pela continuação da vacinação desse público (Foto: Bruna Scheifler/ON)
O governo estadual decidiu ontem (21) pela continuação da vacinação desse público (Foto: Bruna Scheifler/ON)
Você prefere ouvir essa matéria?

Passo Fundo iniciará a cobertura vacinal dos adolescentes sem comorbidades nesta sexta-feira (24). Poderão receber a primeira dose da vacina contra a Covid-19 os jovens com 16 anos e 17 anos. A vacinação será realizada no CTG Lalau Miranda, das 14h às 19h, junto com a repescagem de pessoas com mais de 18 anos, gestantes e puérperas e adolescentes com comorbidades a partir dos 12 anos.

O governo estadual decidiu ontem (21) pela continuação da vacinação e a distribuição de doses aos adolescentes sem comorbidades, apesar da recomendação do Ministério da Saúde, levando em consideração instruções técnicas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Passo Fundo receberá 4,2 mil primeiras doses, sendo 2,3 mil para adolescentes e 1,9 mil para a população com mais de 18 anos. Além disso, também terá distribuídas mais de 15 mil segundas doses e 1,4 mil doses de reforço.

Ao vacinar os adolescentes com a primeira dose, a Prefeitura também realizará a repescagem de todos os grupos já vacinados. “Essa é mais uma oportunidade para que quem não fez a primeira dose inicie o esquema. É importante salientar que a vacinação é o caminho efetivo para vencermos a pandemia. Hoje, temos cerca de 97% da população vacinável com, ao menos, uma dose, mas ainda há pessoas que não foram vacinadas”, avaliou a secretária municipal de Saúde, Cristine Pilati.


Segunda dose da Pfizer

Nesta quinta (23) pessoas com prazo de até 4 de outubro para concluir o esquema vacinal poderão receber a segunda dose da Pfizer nas 17 unidades de saúde.

A vacinação será realizada nos seguintes locais: Ambulatório de Especialidades, UBS Parque Farroupilha, ESF São Luiz Gonzaga, ESF Adirbal Corralo, Ambulatório São José, Cais Vila Luíza, ESF Planaltina, UBS Vila Nova, ESF São Cristóvão, Cais Boqueirão, ESF Nenê Graeff, ESF Santa Marta/Donária, ESF Adolfo Groth, ESF Jaboticabal, ESF Zachia e Cais Hípica.

As ESF, UBS e ambulatórios vacinam das 8h às 12h e os Cais das 8h às 15h.

Será necessário apresentar documento de identificação com foto, CPF ou cartão SUS e carteirinha de imunização contra a Covid-19.

Segunda dose da CoronaVac (Butantan)

Já sexta-feira (24), haverá aplicação de segundas doses da CoronaVac para pessoas com prazo de até 24 de setembro para completar o esquema vacinal.

A vacinação ocorrerá somente nos Cais Boqueirão, Hípica e Vila Luíza, das 8h às 15h, e no Ambulatório de Especialidades, Ambulatório Vila Nova e Ambulatório São José, das 8h às 12h.

Será necessário apresentar documento de identificação com foto, CPF ou cartão SUS e carteirinha de imunização contra a Covid-19.

Vacinação de gestantes e puérperas

Gestantes e puérperas (que tiveram filhos há 45 dias) podem continuar fazendo a primeira dose. A vacinação para esse grupo é realizada na Central de Vacinas, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h.

Além de documento de identificação com foto, CPF ou cartão SUS e comprovante de residência, gestantes deverão apresentar a carteirinha de acompanhamento da gestação e as puérperas a certidão de nascimento da criança.

Dose reforço

Até sexta-feira (24), haverá aplicação da terceira dose para imunossuprimidos graves que receberam a segunda dose em um período igual ou superior a 28 dias. A vacinação é realizada na Central de Vacinas, das 8h às 15, com a apresentação de documento de identificação com foto, CPF ou cartão SUS, carteirinha de imunização contra a Covid-19 e atestado médico ou receitas atualizadas de medicamentos de uso contínuo.

Se encaixam nas condições imunossupressoras de alto grau:

  • imunodeficiência primária grave;
  • quimioterapia para câncer;
  • transplantados de órgão sólido ou de células-tronco hematopoiéticas (TCTH);
  • em uso de drogas imunossupressoras;
  • pessoas vivendo com HIV/Aids com CD4 <200 céls/mm3;
  • uso de corticoides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias;
  • uso de drogas modificadoras da resposta imune;
  • pacientes em hemodiálise;
  • pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas (reumatológicas, autoinflamatórias, doenças intestinais inflamatórias).
Gostou? Compartilhe