Biblioteca quase pronta

Cerca de 85% das obras da Biblioteca Municipal estão concluídas. Entrega deverá acontecer em fevereiro

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

A reforma da Biblioteca Municipal de Passo Fundo Arno Viuniski que iniciou há pouco mais de três meses está na fase final. Falta concluir apenas 15% da obra. O local que possui cerca de 310 m² está recebendo melhorias em todo o prédio: pintura, substituição do piso, conserto de infiltrações, construção de banheiros e adequações de acessibilidade. O prazo de entrega é dia 04 de fevereiro. O investimento é de R$ 167 mil.

O secretário municipal de Educação, Edemilson Brandão, disse que está acompanhando a reforma e que ela está sendo executada dentro do esperado. O espaço terá uma rampa na entrada principal para acesso de pessoas com deficiência e os banheiros também estão sendo adequados. “A reforma é para deixar a biblioteca com mais conforto e segurança. São reformas na pintura e que envolvem questões de acessibilidade. Também queremos ampliar o acervo”, enfatizou Brandão.

A Biblioteca Pública foi fundada no dia 2 de abril de 1940. Cerca de 200 pessoas procuram diariamente o espaço. Os livros foram retirados durante o período de reforma e o local estará fechado até a conclusão da obra.

Confira a lista de melhorias:
- Construção de rampa na entrada principal para acesso de pessoas com deficiência;

- Marquise de policarbonato no acesso principal;
- Troca de todo piso interno, por porcelanato;
- Construção de banheiro para funcionários;
- Pintura interna de todo o prédio;
- Substituição das janelas existentes;
- Troca de todas as portas;
- Substituição de toda cobertura, devido as infiltrações constantes;
- Adequação dos banheiros existentes para pessoas com deficiência.
(Fonte: Secretaria Municipal de Planejamento)

Projeto para uma nova biblioteca

Conforme o secretário municipal de Educação, Edemilson Brandão, a administração estuda a construção de um novo espaço para a instalação de uma biblioteca municipal multimídia que honre a cidade que possui o título de Capital Nacional de Literatura. “Um espaço que não seja apenas para leitura de livros, mas que tenha uma visão cultural mais ampla. Um local que abranja lazer, bem estar, entretenimento. Um espaço com diferentes linguagens onde as pessoas possam ir para assistir filmes, teatro”, disse Brandão.

Um dos locais cogitados para este projeto é o antigo quartel do exército. Conforme Brandão, a biblioteca não pode ficar em um lugar escondido e o projeto é de médio a longo prazo. Para idealizar este “sonho maior” é necessário buscar recursos. O próximo passo será apresentar esta proposição na reunião de secretários. O projeto será construído com a participação e opinião da comunidade.

 

Gostou? Compartilhe