Sem intervalo há três meses

Problema na rede de canalização faz direção suspender atividade no pátio da escola Coronel Lolico

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Os 170 alunos da escola municipal de ensino fundamental Coronel Lolico, no bairro Tupinambá, estão sem intervalo desde o final do mês de maio. A medida de segurança foi adotada pela direção depois que parte do piso do pátio passou a oferecer riscos de um possível desmoronamento provocado por um problema na rede de esgoto e canalização da drenagem, ao lado do portão de entrada do educandário. Junto com os riscos de acidente, a água acumulada no buraco aberto há uma semana, quando funcionários da prefeitura tentavam reparar o dano, exala mau cheiro. 

O problema surgiu ainda no mês de maio, a partir do vazamento de resíduos na caixa da rede de esgoto. Atendendo o primeiro pedido de providência encaminhado pela direção, em 21 de maio, funcionários da secretária de Transportes e Serviços Gerais, já no dia seguinte, realizaram o esgotamento, mas a água retornou rapidamente. Temendo um provável desmoronamento do piso, a direção teve de isolar o local. Desde lá, outros três pedidos de providência foram encaminhados à Secretaria de Educação. Preocupados com a situação, pais de alunos denunciaram o problema na Ouvidoria da Prefeitura.
No início da semana passada, funcionários da prefeitura removeram parte do piso. O buraco, com pelo menos dois metro de diâmetro e um metro de profundidade, permanece aberto e cheio de água.

“Existem muitas vertentes aqui nesta região. O volume de água subterrânea é grande, pode provocar desmoronamento. Não sabemos a real extensão do problema, por isso, suspendemos o recreio” diz a diretora Maria Margarete da Silva. O isolamento foi feito com uma corda. Um funcionário monitora a entrada e saída dos estudantes para evitar aproximação. Sem o tradicional intervalo, a aula termina 15 minutos mais cedo.

Mau cheiro
Junto com os riscos, os alunos convivem com o mau cheiro da água acumulada a céu aberto. A merenda é servida no saguão, cujas mesas estão instaladas há poucos metros do buraco. Alguns vizinhos já procuraram a direção para reclamar do problema. Ao lado da escola está localizada uma creche.
Contraponto
Funcionária do núcleo financeiro da Secretaria Municipal de Educação, Rosana Mattana Silva, diz que o problema se agravou devido ao entupimento na canalização responsável pela drenagem da água. “Os técnicos da prefeitura fizeram o esgotamento, mas em razão deste problema, a água voltou e inundou o buraco. Se o tempo colaborar, ainda hoje a obra será retomada” afirma.

Gostou? Compartilhe