OPINIÃO

Fatos 28.06.2017

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Desaprovação

Os diretórios estadual e municipal do PSB desaprovaram a decisão da bancada do partido na Câmara de Vereadores em derrubar o veto do prefeito Luciano Azevedo ao projeto do vereador Rudimar dos Santos, PCdoB. “Reiteramos o nosso respeito aos quatro vereadores da bancada socialista, mas não podemos concordar com a lógica de ir contra decisões da administração. Nada justifica votar contra o próprio projeto político”, disse o presidente estadual Beto Albuquerque. Segundo ele, o Executivo teve os seus motivos legais para vetar o projeto e caberia ao PSB na Câmara acompanhar esta decisão, dentro da relação de confiança que se entendia estabelecida. Beto ressalva a independência do Poder Legislativo, livre para tomar as decisões que lhe couberem, mas não concorda com o posicionamento da sua bancada como partido de sustentação do governo. O partido deve reunir a bancada para avaliar a repercussão da votação.   

Deus!

Na tentativa de demonstrar força política, o presidente Michel Temer começou o pronunciamento ontem à tarde dizendo que se estivesse presidindo a Câmara dos Deputados, diria que naquele momento havia quórum para uma sessão. Trocando em miúdos, Temer deu a entender que tem força política para barrar a denúncia da PGR na Câmara. Usando termos jurídicos peculiares, tentou jogar no colo do Procurador Rodrigo Janot o constrangimento de um ex-procurador ter deixado o cargo para trabalhar em escritório especializado em delações. Condenou as ilações da PGR fazendo ilações. Demonstrou evidente nervosismo, não explicou a mala de R$ 500 mil, a relação com Rocha Loures, a conversa com Joesley Battista, embora o tenha chamado o empresário de bandido e colocou na conta de Deus o fato de ter o privilégio de ser presidente. “Não sei como Deus me colocou aqui! Mesmo? Por Deus! Só por Deus, mesmo.

O Brasil das contradições

Em nome da moral, da família, de Deus e contra a corrupção foram os argumentos mais utilizados pelos senhores deputados federais para admitir o pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, que acabou perdendo o mandato acusada de pedaladas fiscais. Curiosíssima para saber quais serão os argumentos para admitir a denuncia por corrupção passiva contra o atual presidente Michel Temer. Ou será que isso não vai acontecer?

Energia

Deputado Giovani Cherini, PR, está novamente em licença médica. Está curado do câncer, mas ficou debilitado em função do forte tratamento a que se submeteu. Busca energias antes de retomar de vez a rotina de Brasília.

Palavra do dia

Ilação: Dedução; o que se conclui partindo de inferências e deduções. Inferência ...

 

 

Gostou? Compartilhe