OPINIÃO

Fatos 18.07.2017

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

De novo....

Um universitário que estuda em Passo Fundo (portanto passa a semana por aqui) mas mora em Serafina Corrêa, pagou R$ 20,00 numa corrida de táxi que partiu da estação rodoviária até o centro da cidade. Questionado, o motorista informou ao passageiro que trata-se de uma tarifa fixa definida pelos motoristas, eliminando a necessidade de acionar o taxímetro. Considerando que a passagem de ônibus de Passo Fundo a Serafina é de R$ 18,75 e que com R$ 20,00 um motorista pode abastecer até seis litros de gasolina e fazer uma média de 10 quilômetros por litro, em média, a tarifa paga pelo passageiro da Rodoviária até o centro, foi altamente lucrativa para o motorista em questão. O assunto não é novo e chega a ser uma chatice de tanto que repetimos aqui.

Concorrência

Uma empresa que coordena um aplicativo de caronas está de olho no mercado de Passo Fundo. O CEO do Garupa, João Marcondes Vargas Trindade, e o Diretor Comercial, Antônio Matos estarão em Passo Fundo para apresentar à comunidade mais essa facilidade de mobilidade urbana. O aplicativo já está regulamentado em várias cidades do Brasil. O município precisa urgente de alternativas. Se a fiscalização não funciona, quem sabe a concorrência não faz bem ao mercado. Porque vai sobreviver quem trabalhar de forma honesta e atender bem ao cliente.

Ressalva

O tema já foi e voltou nesta coluna inúmeras vezes. Não canso de dizer que a grande maioria dos taxistas atua de forma correta e são estes que sobreviverão a uma eventual concorrência.

Fora de cogitação

As especulações em torno do ingresso do comunista Aldo Rebelo no PSB chegaram também aos pagos. Mas, não procedem. A coluna perguntou ao deputado Juliano Roso, PCdoB, se a especulação tinha algum fundo de verdade e ele respondeu: “As pessoas confundem a minha amizade e aliança com o prefeito Luciano Azevedo, com filiação partidária. Em setembro vou completar 25 anos no PCdoB e farei uma grande festa estadual em Passo Fundo”. Comunista de carteirinha, não está nos planos do deputado estadual uma mudança de partido.

Ação

O grupo de articulistas do Observatório Jurídico Liberté vai assinar a ação popular contra o presidente Michel temer, na Justiça Federal, em Passo Fundo. O ato será nesta quarta-feira, às 13h30. A JF fixou prazo de 90 dias para que qualquer cidadão promova o andamento de uma ação popular ajuizada contra o presidente Michel Temer, o ministro Eliseu Padilha, o senador Romero Jucá (PMDB-RO) e os ex-ministros Geddel Vieira Lima e Henrique Alves. 

Gostou? Compartilhe