'Santo de casa não faz milagre'

Exigências do edital deixaram do processo a empresa Transpasso

Por
· 1 min de leitura
Empresário aguarda desdobramentos do caso para decidir futuro da empresaEmpresário aguarda desdobramentos do caso para decidir futuro da empresa
Empresário aguarda desdobramentos do caso para decidir futuro da empresa
Você prefere ouvir essa matéria?

Ele tinha 12 anos quando começou a trabalhar de cobrador no ônibus que fazia a única linha existente em Passo Fundo. Hoje, aos 70 anos, proprietário da empresa Transpasso, José da Silva Almeida, o Juca, apelido que ganhou ainda na infância de um tio, vem perdendo noites de sono desde que a prefeitura publicou o edital para licitação do transporte público no município.

Assim como a Coleurb, a Transpasso não apresentou proposta durante o processo licitatário e acabou ficando de fora da disputa. Na segunda-feira, a prefeitura confirmou a Stadtbus, de Santa Cruz, como vencedora do certame. O processo entra agora na fase de análise de documentação da empresa, para posteriormente assinatura do contrato. Após, ela terá um prazo de 180 dias para iniciar a operação. O valor da tarifa apresentado pela Stadtbus foi de R$ 3,03.

Juca justificou a ausência na disputa em razão das exigências determinadas pelo edital, que segundou ele, 'engessou', a participação das empresas locais. Entre os itens mais criticados por ele foi a obrigatoriedade dos ônibus com o motor localizado na parte traseira. "Como uma empresa como a nossa vai ter condições de atender algo assim. Eu teria que trocar todos os ônibus" criticou. Atualmente, a Transpasso possui uma frota de 14 veículos para atender quatro linhas na cidade. O edital previa ainda pintura padronizada dos veículos com as cores verde e azul, e instalação do sistema de bilhetagem eletrônica. "De onde vou tirar dinheiro para fazer tudo isto?" questiona.

A expectativa do empresário é de que a situação seja revertida na Justiça. Sobre o valor da tarifa apresentado pela empresa de Santa Cruz, disse que não é suficiente nem mesmo para pagar as despesas com o óleo diesel. "Há dois anos tenho de pegar dinheiro no banco para pagar o 13º salário dos funcionários. Realmente não sei como irão trabalhar com uma tarifa assim". Em janeiro deste ano, a proposta de tarifa apresentada pela Transpasso, foi de R$ 3,67.

Cauteloso, diz que prefere aguardar os desdobramentos do caso, para posteriormente tomar alguma decisão em relação ao futuro da empresa, responsável pelo emprego de 48 funcionários. Com a experiência de quem vivenciou o surgimento e desenvolvimento do setor na cidade, o empresário diz que o sentimento ao atual momento é de 'raiva'.

Segudo ele, Passo Fundo possui o melhor transporte público do Brasil, entreas cidades de porte médio. "Não tenho dúvidas disso. Temos ônibus relativamente novos, limpos. Os horários são cumpridos à risca. Temos uma boa relação com a comunidade, mas santo de casa não faz milagre" afirma.

Gostou? Compartilhe