OPINIÃO

Heróis brasileiros

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

A maioria negra, que é a maioria (repito) da população nacional, entendeu que é preciso ocupar os espaços que são seus. Na economia, com inteligência e criatividade, ou nas artes, são evidentes os avanços. Zumbi dos Palmares é o símbolo do sacrifício cruento na luta heroica hoje assinalada como Consciência Negra. A tristeza que assolou o povo escravizado fez-se lamento, depois canção e ritmo próprio, irrompendo de quatro séculos de horror. O racismo restou reproduzido na cultura mundial e do país, mas é preciso falar de reconstrução étnica. Hoje há uma economia determinada pelo trabalho aprimorado e evidentes pendores artísticos. A nova aurora libertária emerge da posição de vítima ao protagonismo. Há beleza na negritude, no gesto e potencial afetivo, ou na própria estética física.

 

Pérolas Negras
Os programas do Canal 150, Canal Brasil, neste dia 20 de novembro, revelaram a grande obra de longos anos sob a influência de majestosos vultos de valorização racial para a negritude. São as Pérolas Negras, projetando a produtividade no campo econômico e revelando essa fortaleza racial que sempre brotou no tempo. A narrativa, ancorada pela elite social nos comandos, não aguentou a pujança verdadeira de povos que fizeram de fato a riqueza e o sentido de vida de nosso país. São muitas e nobres as histórias de resistência, dos guerreiros patriotas esquecidos entre a fumaça de guerra criada pelos comandantes brancos; São os ternos do Nordeste que lembram a marcha insistente de Chico Rei, cantando para ingressar na Igreja do Rosário, onde só entravam brancos. Hoje é a igreja de todos. O artista negro, Grande Otelo (ator, cantor e compositor) que encantou infâncias, já dizia: “hoje pode ser branco ou preto, sendo pobre, - carrega as marcas da escravidão”. É isso, como já ouvi observar, pois a opressão se estendeu a todos, ao direito por vida digna. Lembro impacto causado pelo surgimento de Luiza Maranhão, a mais bela mulher de seu tempo, na capa da revista Cruzeiro. A primeira negra com tal distinção causou espécie na mediocridade burguesa. Hoje a beleza negra impõe-se com visibilidade.

 

Liberdade
Num programa dedicado aos sobreviventes judeus, perseguidos na segunda guerra, pelos nazistas, um poeta polonês diz: Liberdade, tu és como saúde, só se dá o devido valor quando se perde!

 

Jorge Salton
Nesta quinta-feira, dia 22, o médico psiquiatra e escritor Jorge Salton fará lançamento do livro “Convivendo com Pessoas Difíceis”. O acontecimento será na Livraria Delta Shopping Passo Fundo, a partir das 18h.

 

Ricordi D’Itália
Será no dia 7 de dezembro a apresentação do Coral Ricordi D’Itália, em sua quarta edição “in concerto”. O espetáculo terá lugar no Teatro do Sesc. O ingresso é R$ 30,00 – à venda na secretaria da Catedral ou pelos fones (54)9 9912 1585/ (54) 9 9931 1076. O coral tem uma história de trinta anos na comunidade, com músicas italianas variadas.

 

Dívida doméstica
Os sistemas de mídia eletrônica invadem os aparelhos de todos os brasileiros oferecendo insistentemente créditos e mais créditos bancários. É pressão acintosa que conduziu muita gente à dependência do cartão de crédito. A dívida doméstica, com lucros escorchantes aos bancos faz pirar a cabeça. O governo tem que meter a mão no juro do cheque especial.


Saneamento
É urgente e inadiável que o governo priorize plano de saneamento básico. A dignidade das famílias começa numa moradia em ambientes decente.


Chacina de Unaí

O ex-prefeito tucano de Unaí, MG, Antério Manica, acusado de ser o mandante da chacina na tocaia contra os fiscais do Trabalho (2004) teve recurso acolhido no TFR de Brasília. Seu irmão assumiu a condição de mandante, mas o júri foi anulado. O prefeito acusado havia sido condenado a 100 anos de prisão, mas agora aguarda novo júri em liberdade. Os executores dos assassinatos estão presos. É incrível o poder desse prefeito. Os fiscais foram mortos quando flagravam trabalho escravo.

Gostou? Compartilhe