Descarte irregular de lixo em números

O Bosque Lucas Araújo, saídas para distritos municipais, estradas vicinais, terrenos no Bairro Vera Cruz e Bairro São José estão entre os locais com maior reincidência de descarte irregular.

Por
· 2 min de leitura
Descarte irregular é comum em áreas verdes da cidadeDescarte irregular é comum em áreas verdes da cidade
Descarte irregular é comum em áreas verdes da cidade
Você prefere ouvir essa matéria?

No ano passado, mais de R$ 243,2 mil foram gastos só com o destino de resíduos urbanos, apenas para o descarte em Passo Fundo. Segundo o secretário da Secretaria de Transportes e Serviços Gerais, Cristiam Thans, secretaria responsável pelo recolhimento de todo o lixo descartado em vias públicas, o desembolso é maior para remover os resíduos das áreas verdes, cujo volume de detritos retirados delas totalizou mais de 4,4 mil m³ em 2018, incluindo outros descartes irregulares da população. Esse gasto aumenta pois além do alto custo para descarte, são necessários equipamentos específicos e trabalhadores.

 

Na cidade, as áreas com maior reincidência de despejo são: o Bosque Lucas Araújo, saídas para distritos municipais, estradas vicinais, terrenos no Bairro Vera Cruz, Bairro São José, entre outros. Já a coleta de resíduos sólidos urbanos (aqueles que são resultantes de atividades domésticas e comerciais) e domiciliares fica a cargo da Secretaria do Meio Ambiente, que retira das residências passo-fundenses mais de 4,2 mil toneladas de resíduos por mês. Só no último ano, mais de 8,2 milhões foram gastos com os serviços de coleta. Segundo o secretário Rubens Astolfi, a quantidade de lixo produzida por pessoa em Passo Fundo é de aproximadamente 700 g, se mantendo abaixo da média nacional que é de aproximadamente um kg por pessoa. “A quantia se mantém constante ao passar dos anos, apenas com pequenos aumentos devido ao crescimento populacional”, explica.

 

A Prefeitura através da Secretaria do Meio Ambiente oferece diversos serviços que visam solucionar o problema e boa parte deles são gratuitos. “É importante que a comunidade aproveite e utilize esses serviços, precisamos dessa colaboração já que a cidade oferece soluções para a maioria dos materiais descartados, dando o devido destino para não prejudicar o meio ambiente”, afirma o secretário Rubens Astolfi. Entre os serviços, encontram-se o descarte correto de pneus, lâmpadas, eletrônicos e recolhimento de animais mortos. Para obter mais informações basta entrar em contato com a secretaria pelo fone: 3317-2529. Já a retirada de móveis, eletrodomésticos e outros utensílios maiores é feito pela Secretaria de Serviços Gerais e Transportes mediante agendamento pelo fone: 3316-7202.

 

Caminhos do Lixo

Ao sair da sua casa, o lixo é coletado pelos caminhões e levado até a Central de Triagem e Transbordo. Chegando lá, o material que foi recolhido é encaminhado diretamente para a separação. O restante (que representa a maior parte) vai para a esteira e cada uma das sacolas ou sacos de lixo depositados para recolhimento é aberto e o material reciclável é separado pelos 70 trabalhadores da cooperativa Recibela. Tudo que não for reciclável vai para o aterro sanitário localizado no município de Victor Graeff. Por isso é importante que a separação do lixo orgânico seja feita em casa, uma vez que facilita o trabalho de reaproveitamento, mesmo que tudo seja recolhido pelo mesmo caminhão.

Gostou? Compartilhe