Quase 600 cartas estão à espera de padrinhos

Adoção começa nesta sexta-feira e segue até 6 de dezembro. Crianças de quatro escolas receberão presentes

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

A campanha Papai Noel dos Correios será aberta oficialmente na sexta-feira no Estado, mas a agência de Passo Fundo já recebeu quase 600 cartas de crianças de quatro escolas (duas municipais e duas estaduais) para adoção, que começa na sexta-feira, dia 22 e segue até 6 de dezembro. No ano passado, 750 cartas foram adotadas em Passo Fundo. Os padrinhos precisam retirar estas cartas na agência do centro, na rua Moron, e entregar os presentes até o dia 6 de dezembro. A partir do dia 12 de dezembro, os funcionários dos Correios começarão a entrega que se dará individualmente em cada escola apadrinhada deste ano. São elas as escolas estaduais do Hoje e Irmã Maria Catarina e as municipais Maria Dolores e Emei Tio Patinhas. Até o momento, mais de 36 mil cartinhas já foram cadastradas no Estado para esta ação de solidariedade. São 91 pontos de adoção em 87 municípios. No ano passado, 43.200 cartinhas dos Correios foram adotadas no Rio Grande do Sul. Ao todo eram 49.405. Em Porto Alegre, das 15.536, cerca de 14.400 foram apadrinhadas.

 

Entenda a campanha

Na etapa inicial da Campanha, a empresa recebe cartinhas de instituições e escolas da rede pública parceiras — desde 2010, os Correios estabeleceram parcerias com as Secretarias de Educação, a fim de trabalhar ações como o desenvolvimento da habilidade da redação de carta, o endereçamento correto e o uso do CEP. As cartinhas são lidas e cadastradas pela empresa e depois disponibilizadas para o público através do site e nos pontos de adoção de cada cidade.

Nesses locais, os padrinhos selecionam os pedidos que desejam adotar e depois entregam os presentes aos Correios para que, posteriormente, a estatal realize a distribuição. Não é permitida a entrega direta do presente e, para assegurar a observância desse critério, o endereço da criança nunca é divulgado ou informado ao padrinho. Vale destacar que o presente deve ser embrulhado em papel pardo e é fundamental que o pacote contenha o número da carta legível ? é através deste número que os Correios identificam o destinatário de cada objeto. No caso de ser mais de um presente para uma mesma carta, deve-se fazer um único pacote.

 

História

Entre milhares de envelopes que circulavam pelas agências e centros de distribuição dos Correios nas vésperas de Natal dos anos 1970 e 1980, chamavam a atenção as que não continham endereço de entrega, mas traziam o nome de um destinatário ilustre escrito em letras infantis: o Papai Noel. Sensibilizados com a atitude das crianças, alguns empregados resolveram adotar as cartinhas por conta própria e começaram a enviar presentes aos remetentes dos pedidos. A ação foi ganhando proporção na empresa com o passar do tempo e acabou se transformando em um projeto corporativo dos Correios. Em 2019, o Papai Noel dos Correios está completando 30 anos de existência como uma das campanhas de solidariedade mais aguardadas do ano.

Ao longo dessas três décadas, a maior ação de responsabilidade social dos Correios conseguiu atender ao pedido de mais de 6 milhões de cartinhas. Atualmente, essa corrente do bem une esforços de empresa, empregados e voluntários da sociedade para atender aos pedidos de presentes daqueles que se encontram em situação de vulnerabilidade social. Em 2018, somente no Rio Grande do Sul, foram apadrinhadas mais de 46 mil cartas por cerca de 12,7 mil padrinhos em todo o estado. Em Passo Fundo foram 750 cartinhas adotadas, em Carazinho, 269 e em Soledade, 234.


Acompanhe as histórias, os personagens e os principais momentos da Campanha Papai Noel dos Correios 2019 nas redes sociais oficiais da empresa: Twitter — @Correiosbr; Instagram — @correios e Facebook — correiosoficial.

 

Gostou? Compartilhe