Nova etapa de pesquisa sobre o coronavírus ocorre neste fim de semana

Em Passo Fundo, 500 pessoas de diversos bairros serão entrevistadas

Por
· 2 min de leitura
Foto: Divulgação/PMPFFoto: Divulgação/PMPF
Foto: Divulgação/PMPF
Você prefere ouvir essa matéria?

A segunda fase do estudo populacional sobre a pandemia da Covid-19, que está sendo conduzido pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), será realizada neste final de semana em nove regiões do Rio Grande do Sul, incluindo Passo Fundo. Na cidade, a coleta de dados está sob a coordenação dos pesquisadores da Universidade de Passo Fundo (UPF), Universidade Federal da Fronteira Sul (Uffs) e Faculdade Meridional (Imed). O objetivo do estudo intitulado EPICOVID19 é estimar o percentual de gaúchos com anticorpos para o vírus SARS-coV-2, determinar o percentual de infecções assintomáticas ou subclínicas, avaliar a velocidade de expansão da infecção ao longo do tempo e obter cálculos precisos da letalidade do vírus.

Assim como na primeira etapa do estudo, 500 pessoas serão testadas, seguindo metodologia específica para sorteio e seleção. O professor da UPF, Dr. Kauê Collares, é um dos responsáveis pelo recrutamento de pesquisadores voluntários para o desenvolvimento do estudo, juntamente com os professores Dr. Jeovany Martínez-Mesa (Imed), Dra. Shana Ginar da Silva (Uffs).

Conforme o professor da UPF, Dr. Kauê Collares, a colaboração das pessoas que forem sorteadas para o teste será fundamental para garantir a realização desta nova etapa. ";Agradecemos muito as pessoas que se dispuseram a colaborar na primeira etapa e pedimos que as pessoas continuem colaborando, recebendo os pesquisadores e se dispondo a realizar o teste que é simples. Essa pesquisa na ajuda a compreender com maior clareza esse momento de pandemia e também possibilita que as autoridades de saúde possam traçar estratégias melhores para o seu controle";, enfatiza. 

Primeira etapa

Dos 4189 testes validados pelos pesquisadores, dois confirmaram positivo, cerca de 0,05% da população gaúcha deve ter sido contaminada. Os dados revelam que há no Rio Grande do Sul um infectado para cada dois mil habitantes. A estimativa é que existam 5650 pessoas com anticorpos no estado. De acordo com o relatório, para cada um milhão de habitantes no Rio Grande do Sul, estima-se 500 infectados, 65 notificações e 1,2 mortos. Além disso, para cada caso notificado nas cidades pesquisadas, existem em torno de quatro casos não notificados. A pesquisa também verificou que 20,6% das pessoas seguem saindo de casa diariamente, 21,1% das pessoas estão em casa o tempo todo e 58,3% estão saindo apenas para atividades essenciais como ir ao supermercado e farmácia. Entre os idosos de 60 anos ou mais, 35,9% relataram ficar em casa o tempo todo.

Metodologia

As testagens da primeira etapa do estudo ocorreram entre os dias 11 e 13 de abril em nove cidades do estado, Porto Alegre, Canoas, Pelotas, Caxias do Sul, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Passo Fundo, Ijuí e Uruguaiana. A população das cidades pesquisadas equivale a 31% da população gaúcha. Pesquisadores foram até as casas sorteadas e coletaram uma gota de sangue de um dos moradores para realizar o teste. Foram aplicados 4189 testes acompanhados de um questionário.

As próximas fases ocorrerão entre os dias 9 e 11 de maio e entre os dias 23 e 25 de maio. Serão testadas 4500 pessoas em cada fase da pesquisa.
Além das IES de Passo Fundo, também são parceiras do projeto a Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, a Universidade de Santa Maria, a Universidade Federal do Pampa, a Universidade Federal do Rio Grane do Sul, a Universidade do Vale dos Sinos, a Universidade de Caxias do Sul, a Universidade de Santa Cruz do Sul e a Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul.

O estudo tem apoio do Ministério da Saúde, da UNIMED de Porto Alegre, do Instituto Floresta e do Instituto Serrapilheira.

Gostou? Compartilhe