Papel recolhido na rua vira cartão de natal

Integrantes do Projeto Transformação reciclam material e homenageiam colaboradores

Por
· 2 min de leitura
Os cartões foram decorados por crianças atendidas pelo Projeto (Fotos: Bruna Scheifler/ON)Os cartões foram decorados por crianças atendidas pelo Projeto (Fotos: Bruna Scheifler/ON)
Os cartões foram decorados por crianças atendidas pelo Projeto (Fotos: Bruna Scheifler/ON)
Você prefere ouvir essa matéria?

“Papel, água e muito amor”. Esta é a receita de Mara Lourdes Sampaio para reciclar papéis que depois serão transformados em cartões de Natal pelo Projeto Transformação. A coordenadora da Arevi (Associação de Recicladores Esperança da Vitória), no bairro Bom Jesus, trabalha há 20 anos com reciclagem e neste ano teve a ideia de oferecer o material para um novo uso. Eles foram decorados pelas crianças do mesmo projeto e serão entregues para apoiadores. 

“A ideia era buscar uma forma de gratificar as pessoas, agradecendo quem colaborou com o Projeto Transformação nas muitas iniciativas que nós temos”, contou Iltomar Siviero, coordenador de formação do Projeto. Ao longo do ano, o Transformação recebe doações financeiras, de alimentos e roupas, entre outros donativos. 

Cartões

“A diferença desse cartão é que foi feito de um material recolhido na rua e que agora vai virar um símbolo de gratidão”, destacou o coordenador do programa Criança e Adolescente do projeto, Claudio Leite da Silva. O agradecimento é particular de cada criança. Elas costumam participar de oficinas, no entanto, neste ano, elas se reuniram apenas uma vez por semana para fazer lanches e receber atividades, devido a pandemia. Manuely dos Santos Fernandes, de 12 anos, participa desde os seis anos e tem a dança como oficina favorita. “É muito bom porque temos o que fazer, se não viesse aqui não teria nada para fazer”, disse Manuely.

As crianças atendidas pelo Projeto decoraram os cartões

Os cartões foram uma das atividades desenvolvidas por elas, como forma de “expressarem por si esse agradecimento às várias pessoas que colaboraram ao longo do ano e demonstrar todo o seu empenho, sua gratidão e seu aprendizado, apesar de ter sido um ano muito difícil”, de acordo com Iltomar.

Renda

A coleta e venda dos resíduos recicláveis é a fonte de renda de muitas famílias passo-fundenses. “Uma tampinha de garrafa faz a diferença para nossas famílias. Um litrinho que está ali no bueiro faz a diferença no nosso salário no final do mês. É muito importante que a população se dedique cada dia mais em continuar mandando as reciclagens, mandando para o destino certo” explica Mara. 

Futuro

Animada e orgulhosa, Mara conta que já tem planos para continuar criando os papéis reciclados no ano que vem. “Faço porque amo a reciclagem, para mim é muito importante. O que queremos deixar para os nossos filhos e para os nossos netos? Um meio ambiente limpo e saudável”, ressaltou a recicladora. 

Mara teve a ideia de reaproveitar os papéis reciclados

A iniciativa dos cartões deve continuar e também se aprimorar. A expectativa é que a atividade seja desenvolvida junto às oficinas presenciais que devem retornar no ano que vem. “Fazendo disso um projeto de criatividade junto às crianças, estimulando elas, motivando a se desafiarem no aspecto da criatividade e de buscar informações. Isso não é só um cartão, é um conjunto porque é um material reciclável. Que importância tem isso para as crianças? Se não estivesse ali esse material, ele estaria onde?”, questiona Iltomar, ressaltado o aspecto da consciência ambiental.

Projeto Transformação

O Projeto TransformAção é uma entidade sem fins lucrativos. Por meio de programas, ela trabalha com causas sociais e ambientais. Um dos programas é o Criança e Adolescente, que atende 65 crianças, e outro é o Cooperativismo e Associativismo, que trabalha com quatro cooperativas de catadores.

Gostou? Compartilhe