Passo Fundo deve vacinar 20 mil pessoas na primeira etapa

Município ainda não sabe quantas doses irá receber, mas garante insumos e equipe preparada para a campanha

Por
· 3 min de leitura
Na Central de Vacinas de Passo Fundo os servidores relatam já estar recebendo ligações da população (Foto: Bruna Scheifler/ON)Na Central de Vacinas de Passo Fundo os servidores relatam já estar recebendo ligações da população (Foto: Bruna Scheifler/ON)
Na Central de Vacinas de Passo Fundo os servidores relatam já estar recebendo ligações da população (Foto: Bruna Scheifler/ON)
Você prefere ouvir essa matéria?

O município de Passo Fundo estima vacinar cerca de 20 mil pessoas dos grupos prioritários na primeira fase da vacinação contra o coronavírus. A Prefeitura garante que possui os equipamentos e materiais necessários para a vacinação, como caixas térmicas, freezer, termômetros, agulhas e seringas. A cidade terá 29 locais de vacinação. A Central de Vacinas, 25 salas de vacinação, e três pontos remotos, um deles no Hospital Municipal. Devem trabalhar diretamente com a aplicação da vacina em torno de 100 profissionais, número que chega a 200 quando considerada a logística, de acordo com a secretária de Saúde, Cristine Pilati. “Caso haja necessidade de pessoal, a nossa ideia é convidar os cursos de enfermagem e medicina para participar”, explicou a secretária.

“O principal ponto do plano é a descentralização e nós conseguirmos fazer três pontos remotos, próximos aos hospitais, porque rapidamente a gente consegue fazer essa vacinação”, destacou a secretária de Saúde Cristine Pilatti. O Programa Vacinação em Casa é outra medida ressaltada. Essa possibilidade será destinada aos idosos acamados e/ou em Instituições de Longa Permanência para Idosos.

A secretaria afirma possuir em torno de 69 mil seringas e agulhas. “A primeira fase vai ser composta aproximadamente de 20 mil pessoas, então a gente tem o dobro, porque em cada fase são duas doses”, explicou a secretária. Entre os 20 mil do grupo prioritário, em torno de 12 mil são profissionais da saúde, no entanto nem todos devem ser vacinados no primeiro momento. “Nós não sabemos se virão todas essas doses. Dentro dos profissionais da saúde, quem trabalha diretamente com Covid, UTIs, enfermarias, os dois Cais - Petrópolis e Boqueirão - vão ser prioridade na vacinação”, destacou a secretária.

O Plano de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 foi apresentado nesta quinta-feira. O documento segue as determinações do Plano Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde, como a ordem dos grupos prioritários, e especifica questões de logística e de distribuição das vacinas no município.

O prefeito Pedro Almeida, ao lado do vice João Pedro Nunes, comentou a reunião realizada virtualmente por 140 prefeitos com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Entre os principais pontos está o anúncio de que a Anvisa deve se manifestar se autoriza o uso emergencial de 2 milhões de doses da vacina AstraZeneca e 6 milhões de doses da Coronavac no final de semana. A vacinação deve começar na quarta-feira (20) às 10h. O Ministério também vedou a compra de doses pelas Prefeituras, o que já havia sido sinalizado por Passo Fundo.

Pedro Almeida comemorou o momento histórico (Foto: Bruna Scheifler)












No entanto, ainda não foi anunciado se todas as cidades irão iniciar a vacinação ao mesmo tempo e a quantidade de doses para cada cidade. “O que fica agora para a gente é saber se vai chegar realmente em Passo Fundo e se a gente vai conseguir já na quarta-feira fazer isso, mas nós estamos preparados. Nosso plano municipal de vacinação foi criado nesse sentido, para ter start a qualquer momento, então está tudo organizado, chegando a vacina a gente armazena e já começa a fazer a vacinação”, garantiu o prefeito Pedro Almeida.

Como Passo Fundo é um polo regional de saúde, o governante acredita que a cidade deve ter prioridade no recebimento de doses. “Já pedimos há bastante tempo que tivéssemos prioridade nesse momento”, explicou o prefeito. 

Adesão

Passo Fundo deve receber a vacina produzida pela chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, a Coronavac, de acordo com Cristine. Em relação a segurança das vacinas, a secretária, que também é infectologista, lembra que elas são consagradas. “Eu vou me vacinar, eu trabalho em UTI e vou me vacinar. Os efeitos colaterais existem como em qualquer outra vacina, mas eles são muito menores, em número de efeitos adversos, do que a quantidade de pessoas que morreram no mundo pela Covid-19”, declarou Cristine. 

A apresentação ficou a cargo da secretária Cristine Pilati (Foto: Bruna Scheifler/ON)

Na Central de Vacinas de Passo Fundo os servidores relatam já estar recebendo ligações da população com dúvidas sobre a vacina, como quando ela estará disponível e quanto custará, mesmo sendo de graça. “Eu acredito que a procura vai ser muito grande. Precisamos ter calma agora, vai ter vacina para todo mundo no tempo correto, esperamos durante meses por essa possibilidade” declarou o prefeito Pedro Almeida.

Fases

Primeira fase

  • Idosos com mais de 75 anos, trabalhadores da saúde e pessoas com 60 anos ou mais que vivem em Instituições de Longa Permanência (ILPs).

Segunda fase

  • Pessoas com idades entre 60 e 74 anos.

Terceira fase

  • Pessoas com comorbidades.


Gostou? Compartilhe