Professores da rede municipal são preparados para a retomada das aulas

Semana de Formação Continuada terminou nesta sexta-feira (26), em preparação ao retorno do ano letivo que inicia na segunda-feira (1º), promovendo atividades online com foco nos desafios do ensino durante e além da pandemia

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Com o tema “A qualificação da educação para (muito) além da pandemia”, a Semana de Formação Continuada dos professores da rede municipal colocou em discussão temas necessários para a retomada das aulas, que iniciam na segunda-feira (1º), em formato remoto. De segunda (22) até esta sexta-feira (26), a Secretaria de Educação disponibilizou encontros e atividades online que buscaram dar suporte pedagógico para o início de um ano letivo diferente para as escolas e famílias.

Conforme explicou o secretário de Educação, Adriano Canabarro Teixeira, foram realizadas cerca de 70 atividades, entre palestras, oficinas e mesas redondas. “Foram atividades que vão qualificar ainda mais o serviço de excelência que a rede municipal busca oferecer e que estão relacionadas à retomada das aulas, práticas docentes, domínio das tecnologias processos metodológicos diferenciados, autocuidado e cuidado com os outros. Tudo o que precisamos para retomar as aulas durante a pandemia e muito além dela”, afirmou.

O professor Fabiano Barcellos Teixeira, professor de História na rede há 11 anos, falou sobre as contribuições do diálogo e da troca de experiências propiciados pelas atividades. “Profissionais de alto gabarito, tanto da nossa rede quanto de outros lugares do Brasil, nos oportunizam conhecer novas metodologias e formas de abordagem, usando a cultura digital e ‘desplugada’, o que nos dará bagagem para enfrentar os novos desafios”, destacou.

No mesmo sentido, a professora Jamile Amaro, que leciona na Escola Helena Salton, considerou fundamental o debate sobre novas formas de ensino, adaptadas às situações atuais. “Estamos vivendo um momento ímpar na educação. Tivemos a oportunidade de nos familiarizar e aproximar de diferentes ferramentas e recursos tecnológicos. É uma formação pensada em promover qualidade aos alunos. Isso é valorização. É acreditar que é possível. É apostar na educação pública de qualidade e na qualificação dos professores. É investir em pessoas para que elas possam proporcionar as mudanças necessárias para as escolas”, enfatizou.

Já para a diretora da Escola Municipal de Ensino Fundamental Antonino Xavier, Diva de Marco, a semana trouxe otimismo para os educadores. “Ficará na história. Não só pela quantidade de cursos e temas, o que também é significativo, mas pela qualidade do que está sendo proposto. As temáticas nos ajudarão a fazer a diferença no dia a dia da escola, com colegas e alunos. A semana nos conduziu olhar para a realidade com outros olhos: com olhos de confiança. As reflexões e possibilidades apresentadas nos fortaleceram e deram a certeza de que estamos preparados para iniciar 2021 e dar o melhor aos alunos e comunidades, que merecem uma educação de qualidade”, avaliou.


Início das aulas

O início das aulas ocorrerá na próxima segunda-feira (1), em formato remoto – não presencial – para os alunos. A decisão do Município considera o cenário da pandemia, caracterizado pelo aumento de casos de Covid-19, as demandas decorrentes desta situação e, ainda, a estratégia pedagógica construída para a realização de um amplo diagnóstico de aprendizagem com toda a rede e posterior criação de planos pedagógicos que atendam às demandas identificadas.

De acordo com Adriano, no mês de março, os professores farão uma análise da aprendizagem dos alunos construída durante o último ano, o que, dependendo das circunstâncias estabelecidas pelo coronavírus, possibilitará uma adesão ao formato híbrido em abril. “Esse é um processo que todas as escolas do mundo estão implementando agora: identificar o que foi e o que não foi aprendido no ano que passou. Temos um contexto complexo, de alunos que conseguiram acompanhar e de outros que não conseguiram. Precisamos fazer esse diagnóstico detalhado para que façamos um planejamento junto com as escolas e, numa possível retomada do ensino híbrido, sejamos mais efetivos no tratamento das defasagens, aproximando o nível de conhecimento das crianças da nossa rede”, salientou.



Gostou? Compartilhe