Prefeitura reúne entidades dos setores comerciais e produtivos para discutir alternativas

A necessidade de se construir iniciativas que assegurem proteção à saúde e o desenvolvimento econômico foram os principais assuntos abordados no encontro. Entidades irão repassar sugestões ao Município para que seja construído um documento, em parceria com a Ampla, e enviado ao governo do Estado

Por
· 3 min de leitura
(Foto: Divulgação/PMPF)(Foto: Divulgação/PMPF)
(Foto: Divulgação/PMPF)
Você prefere ouvir essa matéria?

"Saúde e economia têm que receber toda a nossa atenção e podem andar juntas, em sintonia. Precisamos, com urgência, construir iniciativas que nos assegurem a preservação da vida ao mesmo tempo em que nos deem condições de manter a economia em movimento", declarou o prefeito de Passo Fundo, Pedro Almeida, durante a tarde deste sábado (06), em reunião com os presidentes e diretores das entidades dos setores comerciais, industriais e produtivos do município.

O encontro, que também contou com a participação do vice-prefeito, João Pedro Nunes, foi organizado após o Governo do Estado anunciar, ainda no fim da tarde de sexta-feira (05), que as medidas de Distanciamento Social determinadas pelo sistema de bandeira preta serão mantidas até o dia 22 de março, com o prolongamento do decreto prevendo restrições de horários para o funcionamento de atividades públicas e privadas até o dia 31. "Muitos empresários, sobretudo os pequenos e médios, já estão acumulando prejuízos desde o ano passado. Diversos setores já reduziram seus quadros de trabalhadores e estamos vendo os enormes problemas que isso vem gerando, inclusive à saúde. Emprego e renda são fundamentais e, por isso, não podemos colocar os setores econômicos como os grandes responsáveis pelo agravamento da pandemia que enfrentamos", comentou o prefeito, após ouvir as reivindicações das lideranças que participaram da atividade.

Para o prefeito, a soma de esforços entre o Poder Público, as autoridades sanitárias e de saúde e as entidades comerciais é importante para assegurar que haja sintonia entre as decisões adotadas pelo Estado e que impactam diretamente na vida econômica dos municípios. “É isso o que vamos reforçar junto ao governador. Defendemos a adoção de medidas que protejam a vida dos cidadãos, mas também precisamos gerar emprego e renda para as pessoas”, disse Pedro.

Além das representações locais das entidades, a reunião foi acompanhada pelo presidente da Associação dos Municípios do Planalto (Ampla) e prefeito de Marau, Iura Kurtz. “A Ampla tem sido a nossa representante nos diálogos com o governador, nos auxiliando nesta construção que buscamos fazer para, além de fortalecermos as ações em saúde, também possamos ter incentivos para o desenvolvimento econômico”, ponderou Pedro.

O presidente da Acisa, Cássio Roberto Gonçalves, relatou algumas manifestações que a associação vem recebendo e disse que o governador precisa compreender que os segmentos têm singularidades que devem ser observadas. “Não é possível tratar todos da mesma forma. Há questões que o governo gaúcho necessita levar em consideração”, opinou. 


Solicitações regionais

Kurtz argumentou que os temas abordados na reunião em Passo Fundo têm sido pauta de debates frequentes em todas as regiões do Estado. “Os gestores também estão preocupados com a situação econômica nos seus municípios, porque muitas prefeituras têm visto o empresariado fechar postos de trabalho, elevando os índices de desemprego. Isso gera um efeito negativo em todos os setores”, analisou o presidente da Ampla, reforçando que há um interesse regional em reivindicar que o governo gaúcho adote também medidas que beneficiem a economia. “Vamos oficiar o Governo com um documento solicitando que sejam tomadas ações responsáveis para permitir o funcionamento de alguns setores comerciais”.

O presidente da Ampla também citou que a associação irá encaminhar uma proposta para que o governo gaúcho suspenda a cobrança de alguns impostos estaduais e fomente a criação de linhas de crédito para os setores mais prejudicados.  


Ações em saúde

Ao defender que saúde e economia precisam andar juntas, o chefe do Executivo passo-fundense reforçou as principais ações que a Prefeitura vem tomando no enfrentamento à pandemia. “Diariamente, estamos trabalhando em ações de enfrentamento à Covid-19. Ampliamos nossas equipes de saúde, chamamos novos médicos e outros profissionais, criamos uma terceira unidade de referência para receber os pacientes sintomáticos e aumentamos a capacidade do Pronto Atendimento para assistência não Covid-19 no Hospital Municipal. Não medimos esforços para proteger a saúde da nossa população”, declarou Pedro.

Sobre o documento que a Ampla deve remeter ao governo estadual, o prefeito de Passo Fundo considera uma medida acertada. “Enfrentamos a pandemia com seriedade e responsabilidade, tomando decisões em prol da proteção da vida, mas também pensando no desenvolvimento econômico”, resumiu Pedro.

Também participaram da reunião, representantes da Acisa, CDL, Sindilojas e Sindicato dos Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares, além do secretário de Desenvolvimento Econômico, Diorges Oliveira.

Gostou? Compartilhe