Trigos resistentes à germinação na espiga devem beneficiar produtores nesta safra

Dias consecutivos de chuva podem prejudicar a qualidade dos grãos quando ocorrem no período de colheita

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

A resistência à germinação na espiga é uma característica não muito comum entre as variedades de trigo. No momento da colheita as cultivares com essa característica genética podem garantir o sucesso de todo o ciclo de produção. Isso porque quando há períodos de chuva prolongados nesta fase, o trigo pode germinar na espiga e consequentemente perder qualidade. Muitas vezes os grãos não podem ser utilizados para a produção de farinha e vão direto para o uso em rações animais.

A triticultora Marizete Artuso, de Coxilha, trabalha com a cultura há 20 anos. Nos últimos três ela optou pela variedade Quartzo que apresenta boa resistência à germinação na espiga. Segundo ela, no primeiro ano a área de 80 hectares da propriedade foi cultivada com mais de uma variedade. Após um período de chuva na época da colheita ela percebeu perdas em algumas áreas plantadas com variedades suscetíveis ao problema.

Segundo ela, com o manejo adequado é possível explorar ao máximo as potencialidades da cultivar, sem se preocupar com problemas de chuva na colheita. Na última safra, a produtividade média ficou entre 58 e 60 sacas por hectare. Neste ano ainda não há uma estimativa, pois é preciso esperar o trigo se desenvolver um pouco mais para poder se avaliar os danos causados pela geada. “O padrão apresentado pela lavoura é bom. As plantas estão bem sadias, mas é necessário esperar o desenvolvimento da espiga para ver se houve dano e qual a intensidade”, acrescenta.

 Neste ano, toda a área utilizada no inverno para o trigo foi cultivado com a cultivar Quartzo. Além da resistência à germinação na espiga, ela destaca a produtividade e a qualidade dos grãos colhidos entre os fatores que a levaram a fazer esta opção. O manejo segue rigorosamente as indicações técnicas para a cultivar.

 

Pesquisa

A única forma de se proteger os grãos formados de germinarem na espiga é identificar as cultivares com resistência genética a esse problema. O trigo da variedade Quartzo foi desenvolvido pela OR Sementes que mantém um trabalho constante de identificação de novas cultivares resistentes, sempre buscando agregar outras características. 

De acordo com o gerente administrativo e pesquisador Ottoni de Sousa Rosa a chuva no momento do espigamento determina a transformação do amido em açúcar, e consequente germinação, prejudicando em muito a qualidade. “Os testes realizados para determinar a resistência das cultivares é bastante rigoroso. As espigas são retiradas do campo quando estão maduras e são levadas para um equipamento que simula as condições ideais para a germinação”, explica. Os testes com Quartzo mostraram que mesmo depois de sete dias nessas condições os grãos não haviam perdido em qualidade.

A pesquisadora Amarilis Labes Barcellos destaca que as pesquisas mais recentes têm muita ênfase na identificação de novos materiais com esse tipo de resistência. Já para a próxima safra estará disponível a cultivar ORL 070405 que também tem resistência a germinação na espiga. No cruzamento feito para desenvolver a cultivar está o Ônix, que também foi utilizada para o desenvolvimento do Quartzo.

 

Armazenamento

Os pesquisadores destacam ainda que o trabalho de armazenagem também precisa ser bem conduzido para evitar perdas. A umidade do grão deve estar entre 13% e 14% que é o ideal. Para isso é necessário o uso do secador. O procedimento evita a formação de fungos.

Gostou? Compartilhe