Colaboradores da Embrapa Trigo são homenageados

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

A Embrapa Trigo, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, está comemorando 38 anos de atividade. A data oficial de fundação do Centro Nacional de Pesquisa do Trigo em Passo Fundo, RS, primeira unidade descentralizada da Embrapa, é 28 de outubro de 1974. A cerimônia aconteceu na última sexta-feira, dia 26, com a homenagem aos empregados com mais de três décadas de trabalho na empresa. Também serão homenageados colegas aposentados neste ano e ex-chefes do centro de pesquisa.

Em quase quatro décadas, as pesquisas conduzidas pela Embrapa Trigo e instituições parceiras revolucionaram o agronegócio brasileiro, tornando possíveis os números recordes alcançados nos últimos anos. Aumento de produtividade, redução dos custos de produção, agregação de valor a produtos e expansão da área agrícola são alguns dos resultados gerados pela pesquisa nas suas três décadas de existência. O desenvolvimento de pesquisas específicas voltadas para a produção tritícola nacional determinou um crescimento de 1,54% ao ano, resultando no aumento da produtividade de 500kg/ha na década de 70, para 800kg/ha num período de dez anos. A produção de trigo, que estava concentrada somente no Rio Grande do Sul, rapidamente se espalhou para os estados de Santa Catarina e Paraná, e hoje já começa a ganhar espaço no Brasil Central.  Vencidos os desafios de rendimento de grãos e adaptação, a pesquisa concentra esforços agora para melhorar a qualidade comercial do trigo, atendendo às exigências indústria e considerando nichos de mercado. Atualmente, a cadeia produtiva do trigo gera 57,6 mil empregos diretos e mais de 115 mil empregos indiretos.
 
Números
A Embrapa Trigo possui 245 empregados, dos quais 56 são pesquisadores em várias áreas de especialização, com formação ao nível de mestrado (10) e de doutorado (46) em universidades de reconhecida excelência no Brasil, na Europa e na América do Norte, formando a equipe técnico-científica da Unidade. A Embrapa Trigo conta, também, com analistas (34) eassistentes (155).
As pesquisas realizadas na Embrapa Trigo exigem uma infraestrutura capaz de comportar estudos avançados para suprir as demandas do agronegócio. A Unidade conta com a área total de 426 hectares, dos quais 284 hectares são usados como campos experimentais, e 22 mil metros quadrados de área construída. Os campos experimentais estão localizados em duas áreas: Área I (em Passo Fundo, RS), com 300 ha, sendo 197 agricultáveis, e Área II (em Coxilha, RS), com 110 ha, sendo 87 ha agricultáveis. No período 2011/2012, todos os campos experimentais foram reformados, assim como as casas de vegetação e a estrutura geral para pesquisas a campo. Ainda, neste ano, começou a ser instalada a Estação Experimental de Triticultura Tropical, em Uberaba, MG, na Fazenda Itiguapira, numa área total de 226 ha, sendo 180 agricultáveis, onde estão sendo conduzidos experimentos para o desenvolvimento do trigo no Cerrado.
 
Homenagens
Como reconhecimento ao trabalho dedicado durante mais de 30 anos ao desenvolvimento da triticultura no país, serão homenageados 10 colegas aposentados em 2012 e outros 28 colegas que já chegaram aos 30 de empresa e continuam atuando na Embrapa. A ação faz parte do programa Pró-equidade de Gênero e Raça.

Gostou? Compartilhe