Oxalá para organizar nossas vidas

Ano da paz, harmonia, união, fartura e compreensão

Por
· 5 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Oxalá será o regente de 2017. O orixá onipotente terá a companhia de Iemanjá e Oxum. Isso porque ele nunca manda sozinho e sempre está em boas companhias. A explicação é do espiritualista Carlos Magno Berra, Embaixador do Afroconesul em Portugal, aonde mantém residência fixa. Mantém uma vida religiosa iniciada aos seis anos de idade, após a cura de um problema de saúde. Ali começou a sua missão espiritual. Com grande atuação no Brasil, há mais de 30 anos Magno esclarece as regências anuais para O Nacional. E, claro, faz uma leitura dos búzios com as previsões para o ano que vai começar. Para início de conversa, deixa claro que a definição do orixá de cada ano não passa pelo jogo de búzios ou interpretações subjetivas. É o dia da semana que inicia o ano que determina o orixá regente, pois cada orixá tem o seu dia. Domingo é dedicado ao Oxalá e 2017 começa num domingo. Não fosse 2016 um ano bissexto, o início seria num sábado (Oxum). Magno diz que essas datas seguem a linha da Nação Africana do RS, pois alguns segmentos, como Candomblé e outros, têm datas diferenciadas.

 

Oxalá, Iemanjá e Oxum

Pelas características do regente, 2017 não será pouca coisa. Oxalá é o Deus da paz, orixá onipotente, donos dos olhos que enxergam o mundo e da fecundação. Suas cores são a branca e a prata. É o orixá mais respeitado do panteão africano. Para uma melhor compreensão, Magno explica que um orixá não é uma figura ou alguma ilusória semelhança. O orixá é a força da natureza que vibra sobre as energias. Assim, podemos compreender melhor como será 2017 sob a regência de Oxalá. Essa leitura começa por Iemanjá, que entrega o ano após mudanças individuais e coletivas. Deusa das águas e dos pensamentos, ela trouxe alterações no plano espiritual. Por outro ângulo, até podemos considerar que, como uma forte onda, também provocou ‘reviravoltas’. Agora, Oxalá determinará que tudo siga para o seu devido lugar. Sim, Oxalá chega para colocar a casa em ordem. E a Oxum? É a Deusa do amor, da felicidade, das crianças e dona do ventre materno, explica o espiritualista. Os três são inseparáveis e se completam. Ela traz Axé (boas energias) junto com o regente. É um indicativo de um ano forte, pela forma como Oxum leva consigo muita ordem, fartura e entendimento.

 

Fé, energia e sincronismo

Mas nada acontecerá sem a Fé. Nas palavras de Carlos Magno, fica nítida a necessidade de um sincronismo entre as pessoas e os orixás. A energia é para aqueles que estiveram conectados com essas vibrações. Com forte poder, Oxalá trará as boas energias. Mas para chegar às pessoas, essas vibrações necessitam de uma conectividade: a Fé. Façam orações, uma entrega positiva, para diminuir o ódio e o rancor das energias negativas. Aconselha que as pessoas realizem uma corrente, uns 20 minutos antes da virada, para juntas formarem uma grande força. Basta um tempinho de união e surgirá uma energia que, com a das demais pessoas, se juntará no astral e formará uma grande positividade para combater o mal. Magno diz que é imprescindível essa força espiritual, não importa qual seja a sua religião. É um sentimento necessário para as pessoas não se tornarem fúteis, materialistas, amargas e infelizes. Com essas palavras, o espiritualista reafirma a necessita de uma energia coletiva para atingirmos caminhos positivos.

 

 

Para iniciar bem o novo ano

  

Cores

As cores de Oxalá darão o tom de 2017: branco e prata.

 

 

Frutas para a ceia

Coco (em fruta), melão, melancia e mamão.

 

Doces para a ceia

Cocada, manjar de coco, arroz doce, quindim e merengue.

 

Flores para a mesa

Rosas brancas e um arranjo de trigo.

 

Um banho de sorte

 

Além da energia das águas, podemos contar com a água preparada para um banho especial na virada. É simples, como explicou Carlos Magno.

- Após o banho habitual, acenda uma vela branca no banheiro. Pegue uma jarra com água, acrescente pétalas de rosas brancas, duas colheres de mel e seu perfume de uso habitual. Em pé, sobre uma bacia, despeja o conteúdo da jarra para propiciar um banho do pescoço para baixo. Após esse banho, a água retida na bacia deverá ser devolvida à natureza, porém junto ao seu lar. Poderá ser despejada num canteiro da casa ou, em apartamento, num vaso com folhagens.

  

Os orixás respondem que...

 

Os presságios chegam pelo jogo de búzios

O único meio de comunicação entre o homem e os orixás é o jogo de búzios. São conchas que, pela posição em que caem à mesa, permitem uma leitura. Magno explica que antes do jogo há uma chamada, para que os orixás venham responder. São as vibrações que emanam de uma sineta. Oscilações no ar e inicia a comunicação.

 

Brasil: ruas, transformação e escolha

As oito conchinhas caem sobre a mesa e o espiritualista inicia uma leitura. Diz que o povo estará imbuído de muita Fé. Mais calmo, mas ainda haverá muita gente nas ruas (reivindicando). Novo jogo, então explica que surgirão bons resultados para amenizar a maioria dos problemas, principalmente na política. Os búzios apontam um divisório em abril, através de Ogum – grande guerreiro, para um ano com mais forças. Indicativo de uma grande transformação na política, mudando todo quadro atual. As peças mostram uma grande união das pessoas. E, mesmo não sendo ano eleitoral, surge a possibilidade da escolha de novos governantes. Sim. Isso mesmo.

 

Passo Fundo: soluções e empreendimentos

Favorável à cidade. Essa foi a primeira leitura sobre Passo Fundo que, pelos búzios, terá ainda um perfil de mudanças. Haverá soluções aguardadas para problemas de alguns segmentos. Um bom ano também para o prefeito e a sua administração. Mas não será somente um sereno mar de rosas, pois terá que superar cobranças de áreas em dificuldades. Força no setor comercial. O primeiro semestre será de ajustes, mas no segundo os problemas serão amenizados e há possibilidade de abertura de novos empreendimentos.

 

Mundo: ataques e novos conhecimentos

A mesa realça a sede pelo poder e disputas por territórios com o uso de armas. Haverá vários ataques e inícios de conflitos que serão notícia durante o ano. Inicialmente assustadora, a primeira interpretação é logo amenizada graças a Oxalá. O Deus da paz vai abrandar a beligerância. Logo a paz do orixá irá prevalecer para que não ocorra o pior. Nova leitura e surge a evolução tecnológica que deverá revolucionar a área da saúde. Haverá liberação de novos conhecimentos para amenizar a dor. Evolução nos tratamentos do câncer, Alzheimer e AIDS. Mas surge um alerta, pois ainda sem cura, a AIDS continuará exigindo extremos cuidados e precauções.

 

Um recadinho para evoluirmos

A virada de ano também é um momento para enxergar melhor os semelhantes. Ou, melhor ainda, para unir os semelhantes. Assim, Carlos Magno explica como devemos vai agir na passagem de ano. É o momento para vestir branco e pedir a paz. Mas ele transmite uma mensagem que visa uma energia coletiva. Um momento para realçar igualdades e acabar com todas as formas ainda remanescentes de discriminações. Perante Deus e os orixás somos todos iguais. Devemos olhas para o lado social e sermos solidários para combatermos a miséria. E, somando energias, é muito importante estarmos unidos. Procurando se espiritualizar, sendo mais honestos e sinceros com os semelhantes, a energia vibrará sobre todas as pessoas. Para combater a negatividade, ajude o coletivo. Unidos. Essa é a palavra chave. A união fará a força em 2017, finaliza Magno.

Gostou? Compartilhe