Justiça interdita prédio dos museus

Medida atendeu pedido feito pelo Ministério Público. Município acelera processo para melhorar fiação elétrica

Por
· 2 min de leitura
Interdição segue por tempo indeterminado até que exigências sejam atendidasInterdição segue por tempo indeterminado até que exigências sejam atendidas
Interdição segue por tempo indeterminado até que exigências sejam atendidas
Você prefere ouvir essa matéria?

Atendendo pedido do Ministério Público Estadual, a Justiça decidiu ontem, pela interdição do prédio onde estão instalados os museus Histórico Regional e de Artes Visuais Ruth Schneider. A interdição segue até que seja comprovada a regularização do sistema elétrico do local, com emissão do Alvará de Proteção e Prevenção Contra Incêndio (PPCI). Com a decisão, a visitação do público ao local está suspensa. Apenas serão mantidas atividades essenciais ao expediente interno.

A Prefeitura de Passo Fundo foi intimada da decisão judicial no final da tarde desta sexta-feira. Já na segunda-feira, o Município irá encaminhar ao Corpo de Bombeiros o laudo técnico com os esclarecimentos sobre a segurança da rede elétrica, juntamente com o pedido de desinterdição do prédio que abriga o Museu Histórico Regional e o de Artes Visuais Ruth Schneider. Na segunda-feira, em função da interdição, o expediente nos museus será apenas interno, sem visitação pública.

 Responsável pela ação que resultou na interdição, o promotor Paulo da Silva Cirne, argumentou que a proibição de atividades com o publico no local tem por objetivo não sobrecarregar o sistema elétrico para evitar a ocorrência de sinistro. Na decisão liminar, a juíza da 1ª Vara da Fazenda Pública, Rossana Gelain destacou que “resta evidente o risco à integridade física ou à vida dos usuários do local”.

A situação da rede elétrica do prédio já havia sido denunciado pelo Grupo Ecológico Sentinela dos Pampas (GESP), através de documento encaminhado ao MP pedindo providências. A denuncia aponta  existência de  fiação exposta em contato com a forração de madeiras, emendas irregulares, colocando em risco materiais do acervo.   

O prédio onde estão instalados os museus faz parte do Complexo Cultural Roseli Doleski Preto. Ambos  são coordenados pela Universidade de Passo Fundo. O de Artes Visuais Ruth Schneider tem cerca de 1,4 mil obras pertencente à UPF. Já o Histórico Regional tem em seu acervo mais de 13 mil itens que pertencem ao município. O trabalho no local é realizado por seis funcionários e nove estagiários. Em média, aproximadamente nove mil pessoas por ano passam pelos dois museus.

Providências

Após ter sido notificada sobre o encaminhamento do pedido de interdição, no início da semana, a Secretaria de Planejamento do município realizou uma reunião com o MP, onde afirmou que pretende regularizar em breve a questão em pauta. Segundo declarou a secretária da pasta, Ana Paula Wickert, à reportagem do ON, na quarta-feira, a  solicitação dos Bombeiros está sendo atendida e um projeto de substituição de toda a rede elétrica está em fase de conclusão da orçamentação. Ela garante que o PPCI dos museus está completamente adequado, o que resta agora é apresentar aos Bombeiros um laudo elétrico. “Os Bombeiros solicitaram este laudo porque as instalações elétricas são antigas. Nós já vínhamos trabalhando nesta questão e concluímos a necessidade da substituição da rede elétrica do prédio por uma rede moderna, que será toda em tubulações externas, uma vez que são paredes com mais de um século e não podemos rasgar as paredes”. Ainda de acordo com a secretária, a Secretaria de Planejamento possui um núcleo especializado na área de patrimônio histórico, que constantemente acompanha as edificações tombadas do município e tem preocupação intensa com a manutenção destes prédios.

Infiltração

Além de problemas no sistema elétrico, o prédio apresenta rachaduras nas paredes e  alguns pontos de infiltrações. Com as fortes chuvas no início de junho, algumas obras tiveram de ser removidas para evitar danos. 

Gostou? Compartilhe