Calorão, radiação e proteção

Nível de radiação solar chega a patamares extremos e exige cuidados com a exposição ao sol

Por
· 3 min de leitura
Termômetros pela cidade chegaram a marcar 34ºC. Máxima registrada pela estação meteorológica da Embrapa Trigo/Inmet foi de 32ºCTermômetros pela cidade chegaram a marcar 34ºC. Máxima registrada pela estação meteorológica da Embrapa Trigo/Inmet foi de 32ºC
Termômetros pela cidade chegaram a marcar 34ºC. Máxima registrada pela estação meteorológica da Embrapa Trigo/Inmet foi de 32ºC
Você prefere ouvir essa matéria?

Os índices de radiação ultravioleta estão em níveis considerados extremos, conforme o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC/INPE). A situação exige cuidado com a exposição aos raios solares. Além disso, o calorão dos últimos dias só deve dar uma trégua a partir de amanhã. Para o final de semana, a chegada de uma área de instabilidade deixa as condições propícias à ocorrência de temporais. As informações são do observador meteorológico da Embrapa Trigo/Inmet, Ivegndonei Sampaio.


De acordo com Sampaio, o calor permanece e deve dar uma trégua somente a partir de amanhã, devido à chegada de uma área de instabilidade. O mês de dezembro se encerrou com a temperatura máxima de 34ºC, registrada no dia 11. No final de semana, no dia 29, fez 33ºC. A quinta-feira vai ser parcialmente nublada a nublada, com possibilidade de chuva à tarde e à noite. Conforme Sampaio o dia novamente será abafado, com temperaturas entre 23ºC e 29ºC.


A partir de sexta-feira uma área de instabilidade chega à região e provoca pancadas de chuva por vezes forte, trovoadas, rajadas de vento de moderada a forte intensidade, com possibilidade de granizo em pontos isolados. As condições serão favoráveis à ocorrência de temporais até o domingo. Amanhã a mínima fica em 17ºC e a máxima em 25ºC. No sábado, faz 20ºC e 25ºC. No domingo a mínima fica em 20ºC e a máxima se eleva e pode chegar aos 27C. “Essa chuva deve ficar na nossa região até terça-feira, dia 8”, completa Sampaio.


Ontem, a temperatura máxima registrada pela estação meteorológica da Embrapa Trigo/Inmet foi de 32ºC, no entanto, termômetros espalhados pela cidade chegaram a marcar 34ºC durante a tarde. Sampaio explica que a temperatura mais alta registrada em Passo Fundo desde 1951 foi em dezembro de 1988, que chegou a 39,6ºC. Pelo Estado foram registradas temperaturas de 40,3°C em São Leopoldo, 40,2ºC em Três Coroas, e de 40,1ºC em Canoas.


Sampaio explica que os dias sem chuva, com céu limpo favorecem o aumento dos índices de radiação solar. Em Passo Fundo não há um equipamento que faça a medição do índice de radiação. Conforme o CPTEC-Inpe, o índice de radiação ultravioleta deve estar em 14, o que é considerado um nível extremo.


Cuidado com a radiação
De acordo com a dermatologista, professora da UPF e coordenadora do projeto de extensão Amigos da Pele, Gilvana Bonella, o verão é o momento de intensificar o uso de filtro solar, que deve ser aplicado diariamente, e não somente nos momentos de lazer. Os produtos com fator de proteção solar (FPS) 30, ou superior, são recomendados para uso diário e também para a exposição mais longa ao sol (praia, piscina, pesca etc.). O produto deve proteger contra os raios UVA (indicado pelo PPD) e contra os raios UVB (indicado pelo FPS). Aplicar o produto 30 minutos antes da exposição solar, para que a pele o absorva. Distribuí-lo uniformemente em todas as partes de corpo, incluindo mãos, orelhas, nuca e pés. Reaplicar a cada duas horas. Porém, esse tempo diminui se houver transpiração excessiva ou se a pessoa entrar na água.


Trimestre
De acordo com o boletim climático divulgado pelo 8º Disme/Inmet e CPPMet/UFPEL para o trimestre janeiro, fevereiro e março, a situação atual da Temperatura da Superfície do Mar (TSM) do Pacifico Equatorial caracteriza a evolução de um El Niño fraco para o verão. No Atlântico Subtropical, a permanência da anomalia positiva entre a costa da Argentina e o Rio Grande do Sul também contribui com aumento da concentração de umidade, especialmente no leste e sul do Estado. Em geral, as variações espaciais das precipitações no RS devem apresentar maior irregularidade, causando maior variabilidade das temperaturas, especialmente as diurnas (máximas).


Para o mês de janeiro, as precipitações devem predominar dentro do padrão normal na maior parte do Estado. Para o mês de fevereiro devem ser um pouco acima do padrão no sul e leste, predominando dentro do padrão climatológico nas demais regiões do Estado. Em março, são esperadas precipitações pouco acima do padrão climatológico, especialmente no sul e oeste do Estado.


O prognóstico para as temperaturas mínimas indica para os meses de janeiro e fevereiro temperaturas mínimas um pouco acima padrão climatológico no sul e oeste, predominando dentro do padrão nas demais áreas do Estado. Para o mês de março as temperaturas médias devem ficar pouco acima do padrão em todas as regiões do Estado. Para as temperaturas máximas, o indicativo para o trimestre janeiro, fevereiro e março de valores médios mensais pouco acima do padrão climatológico em grande parte do Estado.

2018
O ano de 2018 se encerrou com volume de chuva acima da média. O acumulado ficou em 1983mm, enquanto o esperado era de 1803. O mês de dezembro, no entanto, ficou com chuva abaixo do esperado. No último mês de 2018 choveu apenas 122mm, 50mm abaixo do esperado.

Gostou? Compartilhe