TJ declara ilegalidade na paralisação de servidores da Susepe

Segundo a magistrada, é abusivo colocar em risco a ordem e a segurança públicas por um movimento

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) publicou, na tarde desta quarta-feira (4), decisão que deferiu tutela de urgência, considerando ilegal a operação padrão promovida pelo Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado (Amapergs).

Estava suspensa a decisão anterior, proferida pela desembargadora Matilde Chabar Maia, em 12 de novembro, que determinava que não houvesse paralisação das atividades dos servidores penitenciários e que a normalidade dos serviços fosse mantida.

Com base nos argumentos apresentados pela Procuradoria-Geral do Estado (PGE), a desembargadora afirmou que “no caso concreto o interesse da sociedade deve se sobrepor ao direito do servidor público estadual, sendo imperiosa a declaração de ilegalidade do movimento paredista objeto do presente litígio”. Segundo a magistrada, é abusivo colocar em risco a ordem e a segurança públicas por um movimento.

Após decorrido o prazo de suspensão e não havendo conciliação entre as partes, o desembargador Francesco Conti, da 4ª Câmara Cível, em consonância com a decisão anterior, deferiu tutela de urgência para que seja cessada a paralisação dos servidores penitenciários.

 

Gostou? Compartilhe