Jornada de Literatura captou 30% do orçamento necessário

Evento aconteceria em março, mas foi cancelado por falta de verbas

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Sem lonas estendidas e nem olhares curiosos pelo fascínio das palavras. Ao menos, em 2020. Com 30% do orçamento necessário captado, a 17º Jornada Nacional de Literatura e da 9º Jornadinha, programadas para março do próximo ano, foram canceladas ainda na quarta-feira (4) da semana passada.


O vice-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários da Universidade de Passo Fundo (UPF), Rogério da Silva, confirmou, na manhã de segunda-feira (09), que embora o evento literário não seja mais realizado no cronograma estimado, a Jornada de Literatura deve acontecer em 2021. “A economia foi ruim para todo mundo ao longo do ano e faltava algo em torno dos 70% do orçamento para a realização”, explicou. Segundo ele, a instituição de ensino – promotora do evento junto à Prefeitura Municipal de Passo Fundo – teria de arcar com “compromissos antecipados”, como a montagem da estrutura e despesas gerais dos escritores convidados sem saber, contudo, se o valor seria complementado via sistema de captação de incentivo à cultura.


Ações mantidas


Sem revelar valores monetários para a realização do evento, o vice-reitor reiterou que as movimentações literárias paralelas à Jornada devem permanecer no próximo ano, como a Saúde Jornalizada e Estações de Leitura. “A Jornada não deixa de existir, ela apenas foi adiada”, afirmou.
As ações contínuas de formação de leitores estavam ancoradas nos temas centrais que iria nortear a nova edição da promoção da arte da literatura estava associada à necessidade de reflexão sobre conceitos em aberto na contemporaneidade, como “Futuro”, “Liberdade”, “Conexões” e “Diversidade”. Os autores painelistas da Jornada e da Jornadinha, entre eles Valter Hugo Mãe, segundo Silva já foram comunicados do cancelamento, assim como as editoras que estariam presentes com estandes literários.

 

Gostou? Compartilhe