Mais de 40 mil veículos são fiscalizados em dois dias de Operação Viagem Segura

A Operação Viagem Segura prossegue com fiscalização redobrada até a meia-noite de domingo (4).

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Em dois dias de blitze realizadas em conjunto pelos órgãos de trânsito, 42.139 condutores foram abordados no Rio Grande do Sul. Isso é resultado da Operação Viagem Segura, que neste feriadão de Finados também registra 4,97 mil infrações, 489 veículos removidos e 135 Carteiras Nacionais de Habilitação recolhidas. 

Para reduzir os acidentes, está sendo realizado um esforço de prevenção a uma das principais causas, a embriaguez ao volante. Em dois dias, foram realizados 474 testes com etilômetro, que constataram 119 casos de alcoolemia. Desses condutores, 16 foram enquadrados em crime de trânsito e levados à delegacia de polícia. 

Nesta edição, além de intensificada a aplicação do etilômetro, os caminhões têm maior atenção. Estudo do Detran/RS aponta que 18% dos acidentes fatais no Estado envolvem pelo menos um deste tipo de veículo. Os dois acidentes fatais no primeiro dia envolveram caminhões. 

Nestes primeiros dois dias de operação, quinta (1º) e sexta-feira (2), foram registrados 447 acidentes nas vias gaúchas, sendo que quatro deles resultaram em cinco óbitos. Outros 181 causaram lesões, de leves a muito graves, em 244 pessoas. 

As blitze da Operação Viagem Segura são realizadas em conjunto por Brigada Militar e Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Detran/RS, Polícia Civil , EPTC, DNIT, ANTT, Daer e ONGs, sob a coordenação do Comitê Estadual de Mobilização pela Segurança no Trânsito. Com o apoio da Federação das Associações de Municípios do RS (Famurs), também estão colaborando com a operação diversos órgãos de trânsito municipais. Graças a essas parcerias, estão atuando neste feriadão cerca de 900 policiais nas estradas (incluindo os Grupos de Trânsito da BM), além das guarnições da Brigada Militar que atuam na fiscalização dos municípios e os agentes da EPTC na Capital. 

Secom

Gostou? Compartilhe