Cadeia produtiva solidária lança sorvete de polpa de frutas nativas

O lançamento do sorvete, produzido a partir da polpa, dá maior visibilidade à cadeia de frutas nativas, que reúne espécies do RS subutilizadas pelo setor produtivo

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

A Secretaria da Economia Solidária e Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sesampe) integra as ações desenvolvidas no litoral gaúcho pelo programa do Estado Verão Numa Boa. Por meio do Departamento de Incentivo e Fomento à Economia Solidária (Difesol), a Sesampe está promovendo a Cadeia Solidária de Frutas Nativas, que traz como destaque o lançamento do sorvete artesanal.

Escolhido como o alimento que vai dar visibilidade às frutas nativas do Rio Grande do Sul, o sorvete é produzido à base de polpa de frutas como araçá, butiá, banana, guabiroba, jabuticaba, juçara (açaí gaúcho) e goiaba. O produto começou a ser comercializado, em Torres, no litoral norte, pela Cooperativa de Consumidores de Produtos Ecológicos de Torres (EcoTorres), a partir da segunda quinzena de dezembro. A procedência das frutas nativas é dos empreendimentos econômicos solidários agroecológicos.

Localizada no centro da cidade, na Avenida José Bonifácio, 107, a EcoTorres vai deixar o produto à disposição do consumidor durante o ano inteiro, com ênfase à venda durante o veraneio de 2012/2013. A diretora do Difesol, Nelsa Fabian Nespolo, diz que "o momento é marcante para a Cadeia Solidária de Frutas Nativas, que vem se estruturando com o esforço dos participantes".

O lançamento do sorvete, produzido a partir da polpa, dá maior visibilidade à cadeia de frutas nativas, que reúne espécies do RS subutilizadas pelo setor produtivo, observa a diretora. A polpa das frutas nativas terá amplo aproveitamento, sendo também empregada na confecção de pastéis de butiá, maionese de banana, pão de açaí, tortas, bolos e molhos para carnes, além de sucos e geleias.

O sorvete de frutas nativas foi lançado e saboreado pelos veranistas na abertura do Verão Numa Boa, em Torres, no último fim de semana, quando foram oferecidos para degustação 100 quilos de sorvete. Na oportunidade, a Sesampe, em parceria com a Cooperativa EcoTorres, Ação Nascente Maquiné (Anama), Centro Ecológico e Centro de Tecnologias Alternativas e Populares (Cetap), apoiou a organização de uma feira para demonstração de sorvete e outros alimentos à base de polpa de frutas.

Investimentos

Segundo a diretora, no início de 2013, a Sesampe vai viabilizar a aquisição de máquinas e equipamentos para a melhor estruturação da base produtiva do setor. "No decorrer do ano, serão aportados recursos e todo apoio necessário para que seja estruturada uma ou mais cooperativas no Estado para produzir os sorvetes de frutas nativas", anuncia.

A ação consolida os processos produtivos da cadeia, que abrange da produção da fruta ao armazenamento, beneficiamento, até o consumo do produto. "A proposta de criação da cadeia produtiva preenche a lacuna de aproveitamento de frutas nativas, resgata o potencial econômico das espécies, com repercussão na geração de trabalho e renda", complementa Nelsa Nespolo.

Atração em Passo Fundo

Além do município de Torres, o sorvete de frutas nativas pode ser saboreado na região da Produção, ao norte do Rio Grande do Sul. A rede de comercialização solidária Encontro de Sabores, localizada na Rua Luiz Feroldi, 50, no Bairro Boqueirão, em Passo Fundo, tem o sorvete como uma das grandes atrações entre o diversificado mix de alimentos, que traz como diferencial a utilização de polpas de frutas.

Governo do Estado

Gostou? Compartilhe