Repasses a hospitais e prefeituras estão mantidos apesar de paralisação parcial

Se o número de servidores for insuficiente para manter o mínimo de 30% do atendimento, a secretária sugeriu que se faça rodízio entre os servidores que não aderiram à paralisação

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir sua matéria?

A Secretaria da Saúde (SES) informa que a paralisação de alguns servidores da pasta não afetará o repasse de recursos do Estado para os municípios e hospitais.

"Os pagamentos estão garantidos e não haverá atraso nos repasses, que serão feitos na data prevista, conforme calendário preestabelecido", afirma a secretária da Saúde, Arita Bergmann.

Sobre o atendimento à população no interior, na quarta-feira (27/11) a secretária reuniu todos os coordenadores regionais de saúde para orientar sobre a manutenção de, ao menos, 30% dos serviços de atendimento à população.

Arita orientou ainda que as coordenadorias devem garantir a prestação de serviços essenciais, como entrega de medicamentos, entrega de vacinas e fazer a regulação de consultas, entre outras demandas.

Se o número de servidores for insuficiente para manter o mínimo de 30% do atendimento, a secretária sugeriu que se faça rodízio entre os servidores que não aderiram à paralisação.

 

Gostou? Compartilhe