Parque Assis Brasil celebra 50 anos

Local é palco do agronegócio internacional

Por
· 3 min de leitura
Vista aérea do Parque em 1971Vista aérea do Parque em 1971
Vista aérea do Parque em 1971

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Lar de uma das maiores feiras agropecuárias da América Latina, o Parque Estadual de Exposições Assis Brasil completa, em 2020, 50 anos de fundação com o desafio de reinventar sua menina dos olhos, a Expointer, em meio à pandemia do novo coronavírus.

“Tenho a honra de ser o secretário da Agricultura no ano do cinquentenário do Parque de Exposições Assis Brasil. E com as restrições impostas pela pandemia, tivemos que inovar e trazer uma nova forma de fazer Expointer, que poderá se tornar um legado para o futuro”, destaca o secretário Covatti Filho.

O formato híbrido proposto pela Expointer Digital 2020, com atividades presenciais no Parque e transmissões ao vivo por canais em plataforma digital, acabou por reforçar o caráter cosmopolita da feira e consolidar o Parque Estadual de Exposições Assis Brasil como palco do agronegócio internacional. No entanto, para chegar a essa internacionalização, o Parque de Exposições teve que, primeiro, ir para o interior: sair de Porto Alegre e se mudar para Esteio.

“Parque do Menino Deus de Esteio”


Em 1967, com o interesse de cabanheiros argentinos e uruguaios em participar da Exposição Estadual de Animais que ocorria anualmente no Parque do Menino Deus, em Porto Alegre, o Estado viu a necessidade de transferi-la de lugar, uma vez que não havia mais possibilidade de expansão de espaço. Liderando os esforços para achar o lugar ideal para o novo parque estava o secretário da Agricultura na época, Luciano Machado. O local escolhido foi a fazenda Kroeff, no município de Esteio, cujos 64 hectares situados às margens da BR-116 foram a base de construção do Parque Estadual de Exposições Assis Brasil.

“Foi uma ideia que enfrentou resistências porque era muito longe de Porto Alegre e de Novo Hamburgo. Mas o secretário Luciano Machado, num misto de teimosia e de visão, insistiu na vinda do Parque para Esteio”, conta o subsecretário do Parque Estadual de Exposições Assis Brasil, José Arthur Martins.

O Parque foi inaugurado em 1970 para a 33ª Exposição Estadual de Animais, mas ainda trazia suas raízes bem fincadas em Porto Alegre. “O catálogo da exposição dizia assim: 33ª Exposição Estadual de Animais realizada no Parque de Exposições do Menino Deus em Esteio. Durante os primeiros cinco anos, este local era chamado de Parque do Menino Deus de Esteio”, diverte-se Martins.

O nome atual do Parque é uma homenagem ao político e pecuarista Joaquim Assis Brasil. “Ele foi responsável pela introdução de algumas raças bovinas aqui no Rio Grande do Sul, como as raças Devon e Jersey”, detalha o subsecretário.

Nasce a Expointer

A primeira Expointer foi realizada em 1972, dois anos depois da inauguração do Parque, ocupando 22 mil metros quadrados. Além dos estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Santa Catarina e Paraná, a primeira edição da feira contou com a presença de nações como Holanda, França, Estados Unidos, Inglaterra, Áustria, Suécia, Dinamarca, Bélgica, Uruguai, Argentina, Chile e Alemanha.

E foi justamente a Alemanha a responsável por uma das marcas mais reconhecíveis do Parque de Exposições Assis Brasil, as três esferas nas cores da bandeira gaúcha. As estruturas formavam o estande da Alemanha nas primeiras edições da Expointer e, em 1974, foram doadas pelo país europeu ao Estado do Rio Grande do Sul. Nas edições recentes da feira, as esferas abrigam exposições de artesanato.

Diversificação e expansão


O Parque de Exposições Assis Brasil sediava a Exposição Estadual de Animais e a Expointer em anos alternados, até 1984: a partir deste ano, a Expointer passou a ser realizada anualmente e a Exposição Estadual foi integrada à sua programação. No ano seguinte, em 1985, as máquinas e implementos agrícolas começaram a ter uma participação mais significativa na feira.

Com o passar dos anos, até mesmo os 64 hectares da antiga fazenda Kroeff foram ficando pequenos para o tamanho que a principal feira do Parque, a Expointer, começou a tomar. Por isso, em 1998, ocorreu a ampliação da área total do Parque de Exposições Assis Brasil para 141 hectares. No ano seguinte, foi criado o Pavilhão da Agricultura Familiar, com pouco mais de 50 expositores. Hoje, é um dos pavilhões mais visitados da feira.

“Em 1970, seria difícil imaginar o que temos hoje no Parque, este grande complexo de instalações que surgiu a partir da Expointer, uma exposição quase que exclusivamente de animais que se tornou este evento multitarefa. O Parque passou a ser um cenário de discussões de tudo o que se relaciona com o agronegócio”, finaliza José Arthur.

O Parque de Exposições hoje

O Parque Estadual de Exposições Assis Brasil tem 45,3 mil metros quadrados de pavilhões cobertos e 70 mil metros quadrados totais de área para exposição. Além disso, conta com 20 locais para julgamentos e nove espaços destinados à realização de leilões e auditórios. São 10 mil vagas de estacionamento, com entrada por seis portões diferentes. Em 2019, foram realizados no parque 75 eventos.

Comemoração

No domingo (4), às 13h, haverá o descerramento de placa comemorativa aos 50 anos na praça principal do Parque, com a presença do vice-presidente da República, Hamilton Mourão, e do governador Eduardo Leite. 

Gostou? Compartilhe