2021 é oficializado como Ano do Cinquentenário do 20 de Novembro no Rio Grande do Sul

Estão previstas celebrações, eventos e atividades culturais até 20 de novembro

Por
· 1 min de leitura
O decreto foi assinado pelo governador Eduardo Leite (Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini)O decreto foi assinado pelo governador Eduardo Leite (Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini)
O decreto foi assinado pelo governador Eduardo Leite (Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini)
Você prefere ouvir essa matéria?

O governador Eduardo Leite assinou, na manhã desta quinta-feira (13), um decreto que institui, no âmbito estadual, o Ano do Cinquentenário do 20 de Novembro, Dia da Consciência Negra. Estão previstas celebrações, eventos e atividades culturais até 20 de novembro.

Para homenagear Zumbi do Quilombo dos Palmares, o Grupo Palmares de Porto Alegre realizou um primeiro ato em 1971, em 20 de novembro, data da morte do mártir. Por isso, 2021 será oficializado como o ano do cinquentenário da data. O objetivo é preservar, difundir e valorizar as histórias, as memórias e as tradições das culturas afro-gaúchas, potencializar a geração de oportunidades, de investimentos e de empreendedorismos relacionados aos múltiplos setores criativos da negritude – ao incluir a cultura como um dos pilares do desenvolvimento sustentável e integral do Estado – e contribuir com a formulação de políticas públicas de economia da cultura para o RS.

“Fico satisfeito de que possamos dar essa contribuição singela, em um decreto, que reconhece esse ano como o cinquentenário para que possamos promover, até 20 de novembro, todo um ciclo de debates e ações culturais que coloquem essa causa em destaque. Causa que não é só do povo negro, é uma causa do ser humano”, disse o governador. “Cinquenta anos ainda são muito poucos diante de tantos anos e séculos de opressão, e esse resgate de valor da contribuição negra deve ser vivenciado todos os dias.”

"Vamos fazendo esse resgate e dando seguimento a essa luta porque, mesmo 50 anos depois desse movimento, continuamos vendo desigualdade e racismo nos nossos dias", destacou a secretária da Cultura, Beatriz Araujo.

O decreto também cria um grupo de trabalho (GT), sob a coordenação da Secretaria da Cultura (Sedac), a fim de promover as atividades relativas e comemorativas às histórias, às memórias e às tradições das culturas afro-gaúchas. A comissão será composta por representantes da Sedac, do Conselho Estadual de Cultura e do Comitê Gestor da Política Estadual de Cultura Viva.

Representantes do Colegiado Setorial de Culturas Populares, Tradição e Folclore da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), da Frente Negra Gaúcha, da Associação Negra de Cultura, da Maria Mulher Organização de Mulheres, do Movimento Negro Unificado, da Estância da Poesia e do Grupo Lanceiros Negros também serão convidados a participar do GT.

O decreto foi assinado nesta quarta-feira, 13 de maio, em alusão ao Dia Nacional de Denúncia Contra o Racismo, uma alternativa à data em que foi assinada a Lei Áurea.

Gostou? Compartilhe