Governo reforça Alerta para região de Passo Fundo

Estado soma 13 regiões em nível de alerta no novo sistema de monitoramento da pandemia

Por
· 4 min de leitura
Vice-governador do Estado, Ranolfo Vieira Júnio, conduziu a reunião do Gabinete de Crise (Foto: Rodrigo Ziebell/Ascom)Vice-governador do Estado, Ranolfo Vieira Júnio, conduziu a reunião do Gabinete de Crise (Foto: Rodrigo Ziebell/Ascom)
Vice-governador do Estado, Ranolfo Vieira Júnio, conduziu a reunião do Gabinete de Crise (Foto: Rodrigo Ziebell/Ascom)
Você prefere ouvir essa matéria?

O Gabinete de Crise do Governo do Estado decidiu reforçar, nessa quarta-feira (2), o Alerta emitido para a região de Passo Fundo no Sistema 3As de Monitoramento. O motivo é a grave tendência de piora na situação de pandemia, detectada pelo GT Saúde, nos municípios que compõem a área. Além de Passo Fundo, outras 12 regiões estão em nível de Alerta no Rio Grande do Sul.

De acordo com o grupo de trabalho do Comitê de Dados, a manutenção do alerta à Região Covid de Passo Fundo está justificada por fatores regionais e macrorregionais. O primeiro indicador a chamar a atenção é o que diz respeito ao número de casos confirmados: na data de análise, a Macrorregião Norte apresentava incidência de 487,9 novos casos confirmados por 100 mil habitantes, o que representa um aumento de 5,4% frente à semana anterior. Essa é 4ª maior incidência entre as 21 regiões Covid-19 na última semana, sendo 106,6% superior à média estadual. O aumento expressivo acontece também no registro de óbitos, que cresceu 17,2% em relação à semana anterior e ficou 58,9% acima da média registrada no Estado.

Ao anunciar a deliberação de Alerta, em transmissão ao vivo, o governador Eduardo Leite também chamou a atenção para o aumento nas internações da região passo-fundense. “Depois de observamos uma redução [nas hospitalizações em leitos clínicos] de abril a maio, nós estamos observando desde o final de maio um aumento bastante expressivo das internações: 7,1% na última semana. Nas UTIs, também estamos observando um crescimento desde meados de maio para cá. A taxa de ocupação na região já ultrapassa os 100%”, destacou. Conforme o GT Saúde, na data de levantamento, a região possuía 104 pacientes internados por Covid-19 em leitos de UTI — nível mais alto da série histórica — e taxa de ocupação de 105,4%. A ocupação acima de 100% indica que estavam sendo utilizados 9 leitos não regulares de UTIs. Isto aponta para o esgotamento do atendimento intensivo na região.

O governador do Estado chamou a atenção dos gestores dos municípios que integram a região de Passo Fundo e apelou para que sejam rigorosos na aplicação dos protocolos e na fiscalização para cumprimento das regras. “Pedimos que a própria população esteja muito atenta e redobre os cuidados para que nós possamos, até atingir a imunização de parcela maior da nossa população, evitar a perda de vidas que são evitáveis. Por favor, todos, cuidem de si mesmos, das suas famílias, das pessoas que estão à sua volta. Precisamos de cada gaúcho cumprindo com a sua parte para salvar vidas e manter ao máximo a nossa economia girando com responsabilidade”.


Equipe técnica pede reforço nas medidas de enfrentamento

O Gabinete de Crise demandou que a região adote providências com medidas adequadas para a preservação da saúde pública, de forma a reduzir a velocidade de propagação, incluindo ações como (mas não apenas): reforço nas campanhas de comunicação local com orientação sobre uso orientação correto de máscara, distanciamento e ventilação; ampliação da disponibilidade e de locais de testagem; orientação da vigilância em saúde para que estabelecimentos e a população em geral garantam e respeitem o isolamento dos suspeitos e confirmados; manutenção da vacinação com fortalecimento da completude do esquema vacinal (incluindo a busca ativa de cidadãos e reforço da comunicação para aplicação da segunda dose); e forte ação de fiscalização não só de aglomerações, mas também do cumprimento dos protocolos mínimos obrigatórios, especialmente de lotação dos estabelecimentos, em diálogo com a população e o empresariado local.


Região de Canoas é a única sem histórico de Aviso ou Alerta

Na reunião realizada na última quarta-feira, quando ficou determinado o reforço de Alerta à Região de Passo Fundo, a equipe técnica decidiu chamar atenção especial também às regiões de Cachoeira do Sul, Caxias do Sul, Cruz Alta, Palmeira das Missões, Santa Rosa e Santo Ângelo, devido ao agravamento da pandemia em cada uma. “Pedimos uma atenção especial para essas sete regiões. Em cinco delas, a taxa de ocupação de leitos de UTI ultrapassa 100% de lotação. Apenas Cruz Alta e Caxias do Sul têm leitos de UTI disponíveis. Importante que as macrorregiões Missioneira, Norte, Vales e Serra reforcem ainda mais os cuidados devido ao agravamento”, reforçou o vice-governador Ranolfo Vieira Júnior.

O Gabinete de Crise também manteve os Alertas já enviados para Erechim, Ijuí, Pelotas, Santa Maria e Uruguaiana e emitiu, pela primeira vez, um Alerta à região Covid de Santa Cruz do Sul — totalizando 13 regiões em nível de Alerta no novo sistema de monitoramento da pandemia. Já para as regiões de Lajeado, Bagé e Hamburgo, foram emitidos Avisos. Desde a implantação do novo sistema, também foram enviados Avisos para Capão da Canoa, Guaíba, Porto Alegre e Taquara.  Com isso, das 21 regiões Covid, somente a de Canoas ainda não recebeu Aviso ou Alerta no Sistema 3As de Monitoramento.


Passo Fundo supera a marca de mil casos ativos

Um dia após o reforço no alerta acerca da situação epidemiológica da região, nessa quinta-feira (3), Passo Fundo superou a marca de mil casos de coronavírus ativos no município. O índice não passava de mil desde 12 de março deste ano. Com 252 novos casos positivos, o total de confirmados chegou a 29.689. Destes, 28.101 estão recuperados.

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou, ainda, o registro de quatro novos óbitos em decorrência da doença. As vítimas, que faleceram entre quarta e quinta-feira, eram dois homens, com 33 e 53 anos de idade, e duas mulheres, com 53 e 77 anos. Desde o início da pandemia de Covid-19, o vírus já causou 530 mortes na cidade.

Gostou? Compartilhe