Polícia prossegue investigações de morte de frentista

Hipótese de execução também é levada em consideração, bem como um assalto frustrado

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

A equipe de investigações da 1ª Delegacia de Polícia segue trabalhando na elucidação do terceiro homicídio do ano em Passo Fundo, ocorrido na madrugada de segunda-feira (21) em um posto de combustíveis às margens da ERS-324, onde José Pedro Oraides Borges, de 40 anos, foi morto com um tiro na cabeça durante o que, a princípio, tratava-se de uma tentativa de assalto.

Segundo o chefe de investigações da 1ª DP, Gustavo Pimentel, os depoimentos das testemunhas ouvidas até agora não apontaram se a vítima tinha alguma desavença ou inimizade com alguém a ponto de culminar em assassinato. “As testemunhas disseram que ele era uma boa pessoa que não tinha problemas com ninguém. Ainda não ouvimos os familiares para confirmar esta situação”, disse.

Também de acordo com Pimentel, a polícia já tem alguns suspeitos e segue trabalhando com estes nomes para chegar à autoria do crime. “A hipótese de assalto não está descartadas, embora nada tenha sido roubado. Trabalhamos também com a possibilidade de o atirador ter, de fato, a intenção de assaltar o posto, mas pode ter se precipitado e atirado”, afirmou.

Após o assassinato de Borges, os criminosos fugiram em uma caminhonete S-10 de cor verde e abandonaram o veículo, com registro de roubo, no bairro Cidade Nova, após serem perseguidos por uma guarnição da Brigada Militar. A caminhonete e um revólver calibre 38 foram apreendidos.

Gostou? Compartilhe