Escola de Ernestina emite nota sobre caso de bullying

Caso aconteceu na terça-feira, dia 3, quando aluno de 12 anos foi xingado e agredido por colegas

Por
· 2 min de leitura
 Crédito:  Crédito:
Crédito:
Você prefere ouvir essa matéria?

A Escola Municipal de Ensino Fundamental Educarte, de Ernestina, emitiu nesta segunda-feira (9) uma nota sobre o caso de bullying e agressão ocorrido na unidade no dia 3 de dezembro em que reforça as políticas pedagógicas antiviolência ensinadas no espaço. No texto, a escola também destaca que “situação segue sendo acompanhada junto aos órgãos competentes acionados, o Conselho Tutelar e a Polícia Civil”.

 

Na ocasião, um estudante de 12 anos foi agredido por outros três adolescentes, todos de 13 anos, que também o chamaram de “mulherzinha, puto, viado”. As partes foram encaminhados à Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Passo Fundo e o Conselho Tutelar foi acionado.

 

Os adolescentes são alunos da mesma turma, na Educarte.  Segundo o Boletim de Ocorrência, registrado no mesmo dia, a ação foi filmada por um deles e estava no celular, comprovando a agressão.

 

Na época, em conversa com a reportagem do O Nacional, a diretora Marley Petr disse que não era a primeira vez que o trio havia agido daquela forma na instituição. Nas outras vezes os alvos foram outros adolescentes, mas em todas elas os pais foram acionados. Desta vez, conforme Marley, por perceber a gravidade do problema, ela buscou a Brigada Militar e o Conselho Tutelar.

 

Íntegra da nota

 

“Diante do ocorrido na manhã da terça-feira, dia 03 de dezembro, na Escola Municipal de Ensino Fundamental Educarte, a Prefeitura de Ernestina, via Secretaria da Educação, Cultura, Desporto e Turismo, reitera para a comunidade que as medidas cabíveis foram tomadas imediatamente após o ocorrido, tanto na esfera pedagógica como na esfera legal, e a situação segue sendo acompanhada junto aos órgãos competentes acionados, o Conselho Tutelar e a Polícia Civil.

 

Diante desta situação, reafirmamos, também, que as políticas e práticas educacionais adotadas e ensinadas nas escolas municipais são totalmente contra qualquer tipo de violência, exclusão ou discriminação. A Educação é um elemento estruturante do desenvolvimento de toda pessoa e encontra-se na base da evolução humana, e acreditamos em uma Educação inclusiva, que respeite as particularidades de todo indivíduo, voltada a cidadania, aos princípios democráticos e ao direito individual de todo cidadão, como reza a Constituição Federal e a legislação educacional brasileira.



Reiteramos, ainda, a confiança no corpo diretivo da Escola Educarte, bem como em seus professores e colaboradores, e reforçamos nosso compromisso com uma educação horizontal, cidadã e inclusiva. E a família também é fundamental nesse processo. Há muitos princípios basilares na formação de cada criança, como o respeito ao ser humano, que não podem ser ensinados só na escola, precisam da plena participação da família para ensinar a criança a conviver pacificamente em sociedade. A Administração Municipal seguirá acompanhando a situação e reafirma o compromisso com a qualidade do ensino nas escolas, assim como com a garantia de um ambiente saudável para que os profissionais possam desenvolver o seu trabalho e as crianças possam adquirir conhecimentos e vivências essenciais para a vida em sociedade.”

Gostou? Compartilhe