Presos de Lagoa Vermelha integram coral Vozes da Liberdade

O coral é composto por 18 homens e 15 mulheres, que cumprem pena no regime fechado

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

O coral Vozes da Liberdade é um projeto organizado pelo Conselho da Comunidade e pela administração do Presídio Estadual de Lagoa Vermelha. Desde setembro do ano passado, ocorrem ensaios com os músicos Diego Granza (gaita e violão) e Vinícius de Andrade (teclado), uma vez por semana. Ambos trabalham de forma voluntária, neste projeto.O coral é composto por 18 homens e 15 mulheres, que cumprem pena no regime fechado na casa prisional. A primeira apresentação do coral aconteceu no último dia 15 de fevereiro, no pátio da unidade prisional.“A música é essencial no processo de inclusão, pois nos mostra a capacidade de musicalização de cada indivíduo”, destacou Roselene de Moraes, vice-presidente do Conselho da Comunidade. 

Delegado penitenciário da 4ª DPR, Alexo Wallau com os músicos voluntários e representantes do Conselho da Comunidade de Lagoa Vermelha na apresentação do coral

Para o delegado penitenciário da 4ª Região Penitenciária (Norte), Aleixo Wallau, a participação dos apenados e apenadas é muito importante, porque promove a  inclusão social por meio da cultura e arte. "Além disso, é um método que contribui para a segurança e disciplina entre os presos. Esta parceria com o Conselho da Comunidade é imprescindível, seus integrantes ajudam o presídio há mais de 20 anos".Na programação musical, os participantes cantam músicas gospel, católica e MPB (Música Popular Brasileira). Sintonia com algum instrumento musical, bom comportamento e vontade de cantar são requisitos avaliados para compor o coral, informou Roselene.

 

Gostou? Compartilhe