Ação transfere 18 presos de Charqueadas para instituições federais

Entre os detentos está um erechinense que acumula 99 anos e dois meses de penas

Por
· 1 min de leitura
A operação aconteceu na manhã desta terça-feiraA operação aconteceu na manhã desta terça-feira
A operação aconteceu na manhã desta terça-feira
Você prefere ouvir essa matéria?

Órgãos de segurança estaduais e federais realizaram na manhã desta terça-feira (3), a operação Império da Lei. O objetivo da ação foi transferir 18 detentos com posição de liderança nas principais organizações criminosas gaúchas para penitenciárias federais fora do Rio Grande do Sul.

O planejamento da Império da Lei teve início há um ano, logo após o lançamento do RS Seguro, no final de fevereiro de 2019. No mês seguinte, o comitê executivo do programa e as instituições envolvidas começaram a estudar a seleção dos alvos da operação por meio da análise de informações de inteligência. Com base nesse trabalho, o Ministério Público e a Polícia Civil encaminharam a representação conjunta, e o Poder Judiciário deferiu a transferência dos 18 líderes de facções do RS para o Sistema Penitenciário Federal. Os detentos foram retirados da Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc) e da Penitenciária Modulada Estadual de Charqueadas (PMEC) em comboio único.
Entre os presos transferidos, um deles é da região norte do Rio Grande do Sul. Rogério Soares, o Véio, de 37 anos é natural de Erechim e acumula 99 anos e dois meses em penas, dos quais já cumpriu 20 anos e quatro meses. A previsão para término do cumprimento das penas é em setembro de 2078. Ele tem condenações por falsificação de documento, receptação, homicídio qualificado, tentativa de homicídio qualificado, roubo e tráfico de drogas.

Todos os transferidos faziam parte do comando de organizações criminosas do Estado. O grupo ficará isolados em penitenciárias federais, o destino individual não será revelado por questão de segurança. A operação contou com a participação de mais de 1,3 mil agentes e o emprego de 306 viaturas, sete aeronaves e quatro embarcações, em uma ação que uniu 15 instituições das esferas estadual e federal.

Gostou? Compartilhe