PANDEMIA: Equipes de saúde prisional são imunizadas contra a Covid-19

Em Passo Fundo, apenas um servidor recebeu a vacina

Por
· 1 min de leitura
Arquivo/ONArquivo/ON
Arquivo/ON
Você prefere ouvir essa matéria?

Os profissionais de saúde vinculados à Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe) e às instituições de saúde que prestam serviços no sistema prisional do Rio Grande do Sul já estão sendo imunizados. A expectativa na Secretaria da Administração Penitenciária - Seapen é vacinar, nesta primeira etapa, todos os profissionais de saúde que atuam nas penitenciárias do Rio Grande do Sul. Quanto aos demais servidores, por fazerem parte dos grupos prioritários, espera-se que a imunização ocorra em breve. Por orientação dos órgãos de saúde federal, estadual e municipais, estão sendo atendidos prioritariamente os trabalhadores da linha de frente contra a Covid-19 que atuam em hospitais, redes de urgência e emergência e da atenção básica.

Passo Fundo

Em Passo Fundo, apenas um profissional da saúde se enquadra nos requisitos para vacinação nesta etapa. Ele já foi imunizado, e segundo o delegado penitenciário da 4ª região, Alexo Wallau, os demais servidores deverão aguardar conforme a disponibilidade de vacinas.

Nas últimas semanas houve uma redução nos casos de Covid-19 dentro das instituições penais em Passo Fundo. Segundo o boletim divulgado pela Seapen, com atualização do dia 25, no município há 10 casos confirmados e 14 casos suspeitos em acompanhamento. Em dezembro, Passo Fundo chegou a ser a cidade com o maior número de infectados no Rio Grande do Sul, com 23 casos. Atualmente a situação mais grave é em Ijuí, que contabiliza 45 casos. Em todo o Rio Grande do Sul há 103 presos infectados.

Desde o início da pandemia, em março do ano passado, diversas medidas foram tomadas com o objetivo de prevenir o contágio e o número de óbitos. As pessoas presas que ingressam nos estabelecimentos passam por testagem e isolamento de 14 dias. Até o momento, já foram realizados 16.512 testes rápidos em todas as casas prisionais do Estado, o que representa 40% do total de presos.


Gostou? Compartilhe