Dupla morta em assalto havia rendido três pessoas dentro de joalheria

Assaltantes foram surpreendidos por policiais militares no corredor da galeria

Por
· 1 min de leitura
Segundo testemunhas, foram disparados mais de 30 tiros (Foto: Luciano Breitkreitz/ON)Segundo testemunhas, foram disparados mais de 30 tiros (Foto: Luciano Breitkreitz/ON)
Segundo testemunhas, foram disparados mais de 30 tiros (Foto: Luciano Breitkreitz/ON)
Você prefere ouvir essa matéria?

A Polícia Civil vai instaurar inquérito para apurar as circunstâncias do roubo e das mortes dos dois envolvidos no assalto a uma joalheria, no final da tarde de sexta-feira. Eles foram mortos durante troca de tiros com policiais militares quando tentavam fugir do interior de uma galeria, na avenida Brasil, centro de Passo Fundo. 

Um dos proprietários do estabelecimento, que pediu para não ser identificado, contou ontem ao ON que já estava se preparando para fechar o estabelecimento, por volta das 17h30, quando os dois chegaram no local. A joalheria fica nos fundos da galeria, onde também funciona uma sala de costura e um salão de cabeleireiro. Instalado há seis anos no local, o comerciante costuma manter a porta fechada, por motivo de segurança.

“Estavam muito bem vestidos. Me entregaram dois anéis e pediram para verificar se eram de ouro. Quando retornei dizendo ser bijouterias, os dois sacaram os revólveres e anunciaram o assalto”, revelou.

Ele, o sócio, e o responsável por uma máquina de xerox, instalada na mesma sala, foram obrigados a deitarem no chão. Os três receberam ordens para não reagirem. Enquanto isso, a dupla aproveitou para recolher uma grande quantidade de anéis, relógios e o dinheiro que havia no caixa. Segundo a vítima, o valor total foi avaliado em aproximadamente R$ 100 mil.

Assim que deixaram a joalheria, os dois subiram as escadas, viraram à esquerda do corredor e se depararam com os policiais militares. “Eu ouvi quando um gritou - perdeu. Nisso, eles voltaram, desceram novamente a escada e tentaram entrar no estabelecimento, mas a porta não abre por fora. Levantei a cabeça e vi um deles atirando contra os PMs, enquanto o outro atirou contra a porta, para tentar abrir”, revelou o comerciante.

Segundo testemunhas que trabalham e residem nas proximidades, foram disparados mais de 30 tiros. As marcas dos disparos ficaram espalhadas pelas paredes e piso. Feridos, os assaltantes foram levados para o Hospital São Vicente de Paulo, na carroceria de uma viatura da Brigada Militar, mas não resistiram. Eles morreram quando recebiam os primeiros socorros.

Momentos depois, foram identificados como João Pedro Garcez, 18 anos, e Rafael Serena, 24 anos. Ambos eram moradores de Passo Fundo, tinham antecedentes criminais, mas nenhuma condenação.

Segundo o joalheiro, o rapaz responsável pela máquina de xerox, em razão do susto, passou mal e precisou de atendimento médico no hospital. “Na hora fiquei tranquilo, mais tarde, em casa, quando deitei, as imagens não saíam da minha cabeça. Foi um susto muito grande, mas o negócio é tocar a vida, continuar trabalhando. Se eles estivessem trabalhando não teriam morrido”, declarou.

Gostou? Compartilhe