Homicídios caem 22,9% e feminicídios têm alta de 225% no Rio Grande do Sul

A maioria dos indicadores da violência apresentaram queda no estado

Por
· 2 min de leitura
 13 mulheres foram mortas em agosto por motivo de gênero (Foto: Elxa Fiúza/Agência Brasil) 13 mulheres foram mortas em agosto por motivo de gênero (Foto: Elxa Fiúza/Agência Brasil)
13 mulheres foram mortas em agosto por motivo de gênero (Foto: Elxa Fiúza/Agência Brasil)
Você prefere ouvir essa matéria?

O Rio Grande do Sul completou dez meses consecutivos de queda no número de homicídios. O total de vítimas caiu de 140 em agosto de 2020 para 108 no mesmo mês deste ano, uma redução de 22,9%. O total atual de homicídios é o mais baixo para o período em 15 anos. Em relação ao pior agosto já vivido no Estado, em 2015, quando 240 gaúchos foram assassinados, a queda chega a 55%.

A sequência de reduções também fez despencar o número de homicídios no acumulado entre janeiro e agosto. A comparação de oito meses do ano passado e de 2021 mostra queda de 1.266 vítimas para 1.043 – uma retração de 17,6% com 223 vidas preservadas. A soma deste ano é também a menor para o período desde 2006 e equivale a 48,6% de queda na comparação com o pico da série histórica, em 2017, quando o Estado amargou 2.029 assassinatos no intervalo de oito meses.

Os dados fazem parte dos indicadores criminais divulgados nesta sexta-feira pela Secretaria da Segurança Pública (SSP). O Estado credita o resultado a política de foco territorial implantada pelo RS Seguro, com esforço especial para o combate ao crime nos 23 municípios que concentravam os maiores indicadores criminais na última década. Entre as dez maiores quedas de homicídios no acumulado do ano, sete ocorreram em cidades que fazem parte desse grupo.

O estado também registrou queda de latrocínios (roubos com mortes), recorde na redução de roubo de veículos, queda de roubos a transporte coletivo e nenhum ataque a banco no último mês.

Feminicídios aumentam 225%

Apesar dos resultados positivos na maioria dos índices da violência no estado, o número de feminicídios apresentaram alta de 225%, passando de quatro casos em 2020 para 13 vítimas neste ano. O dado também impacta no acumulado desde janeiro, que subiu de 57 para 72 assassinatos por motivo de gênero, um crescimento de 26%.

A SSP afirma que a alta "evidencia a resistência da sociedade gaúcha em promover uma mudança de cultura voltada ao respeito e a igualdade das mulheres". A pasta ainda reforça a necessidade de conscientização sobre a importância das denúncias. Apenas duas das 13 vítimas do último mês tinha registro de ocorrência anterior contra o agressor. E em nove casos o criminoso tinha vínculo amoroso ou familiar com a mulher assassinada;

" Números que escancaram a importância de parentes, amigos, vizinhos, colegas de trabalho e de escola, ou até mesmo desconhecidos realizarem a denúncia ao primeiro sinal de violência. Quanto mais cedo for levado às autoridades o conhecimento sobre possíveis abusos, maiores são as chances de auxiliar as mulheres vítimas a romperem com o ciclo de violência antes que ele termine em um feminicídio", afirma o texto.

Denúncias

Denúncias de violência contra a mulher podem ser feitas pelo Disque Denúncia 181 e Denúncia Digital 181 e no site da SSP (ssp.rs.gov.br/denúncia-digital). O WhatsApp da Polícia Civil (51 – 98444-0606) recebe mensagens 24 horas, sem a necessidade de se identificar. A Delegacia Online (delegaciaonline.rs.gov.br) também está disponível para boletins de ocorrência.

Além disso, podem ser buscadas qualquer Delegacia de Polícia, além das 23 Deams hoje existentes no Estado, bem como o auxílio das PMPs. Para socorro urgente em emergências, o número é o 190.

Gostou? Compartilhe