Heinze e Paim são os dois senadores gaúchos

Candidato que aparecia na quarta colocação nas intenções de votos, Heinze foi o mais votado no Estado. Paim garantiu reeleição com 1,8 milhões de votos

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Nos próximos oito anos, os gaúchos serão representados no Senado por Luis Carlos Heinze (PP) e Paulo Paim (PT). O atual deputado federal Heinze, com 2,3 milhões votos, foi uma surpresa. Candidato mais votado na disputa, Heinze estava em quarto lugar nas pesquisas, com 16% das intenções de votos, de acordo com a última Ibope divulgada na noite anterior à eleição. Paulo Paim, eleito em segundo lugar com 1,8 milhões votos, já era senador e aparecia como favorito na corrida pela cadeira no Senado Federal, com 23% das intenções de votos, segundo Ibope de sábado (6). O candidato passo-fundense Beto Albuquerque, PSB, disputou o segundo lugar com Paum e somou 1,7 milhão de votos (16,23%).

 

Luis Carlos Heinze
Natural de Candelária, Heinze é engenheiro agrônomo e produtor rural. Fixou residência em São Borja (RS) onde iniciou os trabalhos profissionais de planejamento e assistência técnica aos produtores rurais. Começou sua vida política em 1993, como prefeito de São Borja pelo Partido Social Democrático (PSD). Desde 1999 foi cinco vezes consecutivas eleito deputado federal. Atualmente, Heinze é filiado ao Partido Progressista.
Heinze votou a favor do impedimento da então presidente da República, Dilma Rousseff. Votou pela cassação do ex-deputado e ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, e também a favor do prosseguimento das denúncias contra o presidente da República, Michel Temer. O parlamentar articulou com o governo o programa de incentivo à liquidação de dívidas de produtores rurais que possuem operações do crédito rural inscritas em Dívida Ativa da União – DAU. O programa concede descontos entre 60% e 95%, além de bônus fixo de R$ 750 a R$ 142,5 mil, por meio da Lei nº 13.340/2016. A adesão ainda está vigente e mais de 1 milhão de produtores rurais, sendo 200 mil famílias somente no Rio Grande do Sul, já foram atendidos.

Paulo Paim
Natural de Caxias do Sul, Paulo Paim começou a trabalhar aos oito anos de idade, amassando barro em uma fábrica de vasos. Na década de 80, foi presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Canoas, da Central Estadual de Trabalhadores, Secretário Geral e Vice-Presidente da CUT Nacional. Liderou a caminhada de Canoas a Porto Alegre em que eram exigidos emprego, liberdade, igualdade, justiça e o fim da ditadura. Foi deputado federal por quatro mandatos e, em 2003, assumiu a vaga de senador.


O parlamentar defende aposentados, pensionistas e minorias. É autor do Estatuto do Idoso (10.741/03) e do Estatuto da Igualdade Racial. É autor também do Estatuto da Pessoa com Deficiência, do Estatuto do Motorista Profissional, da redução da jornada de trabalho sem redução de salários, do Fundep (Fundo do Ensino Profissionalizante), do fim do voto secreto nas votações do Congresso Nacional, do Fundo de Financiamento para Micro, Pequenas e Médias Empresas, fim da violência contra professores e paz nas escolas, do fundo do Pré-Sal que estabelece que recursos sejam destinados para a Previdência, da recuperação do valor do salário mínimo, da recuperação nos proventos de aposentados e pensionistas e do fim do fator previdenciário.

Gostou? Compartilhe