Bolsonaro chega aos Estados Unidos em busca de parcerias

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

O presidente Jair Bolsonaro disse, em sua conta no Twitter, que sua visita aos Estados Unidos representa o começo de uma parceria pela “liberdade e prosperidade”.
“Pela primeira vez em muito tempo, um presidente brasileiro que não é anti-americano chega a Washington. É o começo de uma parceria pela liberdade e prosperidade, como os brasileiros sempre desejaram”, afirmou na rede social. Ele chegou aos Estados Unidos às 15h40 (16h40 em Brasília), onde se encontrará na terça-feira com o presidente americano, Donald Trump. Antes do embarque, Bolsonaro transmitiu o cargo ao vice Hamilton Mourão
Um grupo de 60 manifestantes realizou um protesto em frente à Casa Branca na tarde de domingo, contra a visita do brasileiro. Eles já haviam se desmobilizado no momento da chegada de Bolsonaro e o acesso à rua foi fechado pelo serviço secreto americano.

“Nos hospedaremos na Blair House. É uma honraria concedida a pouquíssimos chefes de Estado, além de não custar um centavo aos cofres públicos. Agradecemos ao governo americano a todo respeito e carinho que nos está sendo dado”, acrescentou.
Ainda segundo o presidente brasileiro, Brasil e Estados Unidos “juntos assustam os defensores do atraso e da tirania ao redor do mundo”.O presidente Jair Bolsonaro disse, em sua conta no Twitter, que sua visita aos Estados Unidos representa o começo de uma parceria pela “liberdade e prosperidade”. Bolsonaro já posou neste domingo (17) na Base Aérea de Andrews, em Washington.
Bolsonaro e o presidente norte-americano Donald Trump devem assinar na próxima terça-feira (19) o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas entre o Brasil e os Estados Unidos. A medida vai permitir o uso comercial da base de lançamentos aeroespaciais de Alcântara, no Maranhão. Estima-se que, em todo o mundo, ocorra uma média de 42 lançamentos comerciais de satélites por ano.
A Base de Alcântara é reconhecida internacionalmente como ponto estratégico para o lançamento de foguetes, por estar localizada em latitude privilegiada na zona equatorial, o que permite uso máximo da rotação da Terra para impulsionar os lançamentos.
Segundo a Agência Espacial Brasileira (AEB), o uso da base brasileira pode significar uma redução de 30% na utilização de combustível, em comparação a outros locais de lançamentos em latitudes mais elevadas.
Integram a comitiva brasileira os ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Paulo Guedes (Economia), Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Tereza Cristina (Agricultura) e Ricardo Salles (Meio Ambiente), além do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

Presidente diz que ainda não recebeu versão do PL sobre previdência dos militares

Por Bárbara Nascimento
O presidente Jair Bolsonaro informou ontem que não recebeu ainda a versão do projeto de lei que trata da previdência dos militares. Em sua conta no Facebook, ele disse ainda que, "possíveis benefícios, ou sacrifícios, serão divididos entre todos, sem distinção de postos ou graduações". A fala ocorre após informações, na última semana, de que o texto foi entregue pelo Ministério da Defesa ao da Economia. O projeto ainda passaria por uma avaliação do corpo técnico da área econômica.
A data programada para que o projeto chegue ao Congresso é o próximo dia 20, quarta-feira. Em entrevista no início do mês, o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, reforçou o prazo e afirmou que o texto vai criar novas patentes intermediárias para permitir o alongamento do tempo de contribuição dos militares, que deve passar dos atuais 30 anos para 35 anos. À época, Marinho negou que haveria, no texto, qualquer previsão de reajuste para a categoria, conforme reivindicado pela cúpula das Forças Armadas, embora gratificações devam ser criadas à medida que o militar suba a novas patentes.
No último sábado, 16, o ministro da Secretaria de Governo, general Carlos Alberto Santos Cruz, afirmou que o projeto tratará de aumento do tempo de serviço, porcentual de contribuição e taxação de pensionistas. Também sábado, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse que o projeto da aposentadoria dos militares "está sendo trabalhado e vamos cumprir o prazo do dia 20".

 

Gostou? Compartilhe