OPINIÃO

Os caminhos da campanha

Por
· 3 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

A pré-campanha eleitoral em Passo Fundo tem percorrido um caminho que nos dá uma prévia do que teremos na campanha propriamente dita, nos próximos meses. Os últimos movimentos, a começar pelo inoportuno pedido de impeachment do prefeito Luciano Azevedo, que acabou arquivado na Câmara de Vereadores e no Ministério Público, passa pela exploração da escapada do deputado Mateus Wesp, PSDB, a uma festa particular em plena pandemia, até o fato de a filha do procurador do Estado e pré-candidato do PSL, Rodinei Candeia, ter sido beneficiada com o auxílio emergencial do governo federal de R$1,2 mil. Mateus reconheceu o erro em nota, mas não se livrou das críticas e dos memes. A repercussão acaba atingindo o pré-candidato tucano Lucas Cidade. E, Candeia postou um vídeo dizendo que sua filha não depende dele, porque é maior de idade, mãe e perdeu renda com a pandemia, portanto se enquadra no auxílio. Mas também é criticado pelas comparações, pois afinal outras mães (milhares delas) na extrema pobreza não tiveram a mesma sorte.


O que importa?

Entre o que é certo e o que é errado, está em jogo a busca pelo voto, que se antecipa muito com a possibilidade de pré-campanha. O acesso facilitado as redes sociais e a produção de conteúdo sem nenhum critério, muito menos contraponto, produz verdades questionáveis que influenciam as pessoas a tomada de decisões nem sempre corretas. E daí fica um acusa aqui e responde ali, com os seguidores apoiando ou criticando este ou aquele, passando a impressão errada do que seja prioridade. Mas o que de fato importa numa campanha eleitoral? Importa a conduta ética do candidato, sim, e muito. Mas importa também que esse candidato mostre a que veio e o que pretende para a comunidade que pretende governar. E a postura, que faz parte dos atributos éticos, conta por demais.


Quais os projetos

Os cidadãos querem saber o que os candidatos têm a oferecer para melhorar a vida de todos, para o desenvolvimento econômico, para as questões das mais corriqueiras até as mais complexas. Especialista em marketing eleitoral, a jornalista Soraia Hanna adverte que se foi o tempo em que um banho de loja resolvia o problema do candidato. “Hoje, o importante é que ele mostre sua essência, o que ele tem para dar à comunidade. Segundo ela, a rede social não é um depositário de notícias ou espaço para inventar uma história. É um espaço de conexão verdadeira com o público.


Rigor

Se essa será uma campanha eleitoral virtual e a mostra está na nossa timeline, então essa também será uma campanha que vai dar muito trabalho à Justiça Eleitoral. O presidente do TRE, desembargador André Luiz Planella informa que o TSE firmou convênios com a Polícia Federal, ABIN e 31 entidades, incluindo veículos de comunicação para enfrentar as fake news que tem dois focos: as que são produzidas por leigos e as que são disseminadas com ajuda de robôs. A Justiça Eleitoral quer evitar o que aconteceu na eleição de 2018. E hoje, mais do que comprovado está, Bolsonaro foi eleito com ajuda de robôs que influenciaram milhares de eleitores.


Responsabilidade

Mas, o eleitor, o cidadão, também pode fazer a sua parte: primeiro selecionando o que passa pelas suas redes; segundo, duvidando da informação que recebe e, em havendo dúvida, não compartilhando. O exercício da cidadania passa por ter critério sobre o que realmente importa.


Anúncio

A primeira semana de julho deve ser decisiva para o anúncio do candidato que terá o apoio do prefeito Luciano Azevedo nas eleições municipais. Segue forte o nome do ex-secretário Pedro Almeida, que teria como vice João Pedro Nunes, em uma ampla aliança com cerca de 10 partidos. A intenção é apresentar a chapa completa na primeira semana do mês de julho, caso a eleição seja confirmada para outubro. Pedro Almeida já vem conversando com entidades empresariais da cidade, como pré-candidato.


Live regional

O pré-candidato a prefeito Márcio Patussi, PDT, adotou como estratégia a realização de lives abordando temas regionais. Ontem à noite reuniu o presidente da Famurs, Eduardo Freire, PDT, o prefeito de Carazinho, Milton Schmitz e o prefeito de Marau Iura Kurtz, ambos do MDB. O tema foi o aeroporto regional Lauro Kortz. Esta semana, o governo anunciou que a empresa Traçado tem 30 dias para entregar o projeto adaptado às normas técnicas do anteprojeto. O secretário Cláudio Gastal projetou iniciar as obras em 60 dias e encerrá-las no prazo de 12 meses.

Gostou? Compartilhe