Pesquisadores gaúchos vão testar segurança de urnas eletrônicas

Professores e estudantes da IMED irão participar do Teste Público de Segurança (TPS), promovido pela Justiça Eleitoral para identificar possíveis fragilidades e aprimorar o processo eletrônico de votação

Por
· 2 min de leitura
Entre 11 e 22 de outubro grupo participará da atividade (Foto: Divulgação/IMED)Entre 11 e 22 de outubro grupo participará da atividade (Foto: Divulgação/IMED)
Entre 11 e 22 de outubro grupo participará da atividade (Foto: Divulgação/IMED)
Você prefere ouvir essa matéria?

Um grupo de pesquisadores gaúchos, formado por três alunos e dois professores da IMED – instituição de ensino superior com campi em Porto Alegre e Passo Fundo –, foi selecionado para testar o processo brasileiro de votação. O Teste Público de Segurança (TPS), promovido pela Justiça Eleitoral no ano anterior às eleições, reúne especialistas para tentar “quebrar” as barreiras de segurança do processo eletrônico de votação, identificando possíveis falhas ou vulnerabilidades.

Entre 11 e 22 de outubro, os estudantes Adroaldo Leão Souto Júnior, Gabriel Sordi Damo e Juliano Ribeiro Poli, e os professores Marcos Roberto dos Santos e Vinicius Borges Fortes irão à Brasília para a primeira fase do Teste, onde poderão inspecionar os códigos-fonte nas dependências no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ainda participar de uma apresentação técnica sobre os sistemas que poderão ter seus códigos inspecionados.

O objetivo dos investigadores é identificar problemas ou fragilidades que, ao serem constatadas, são resolvidas – e testadas – antes da realização das eleições, como forma de promover o aprimoramento contínuo do processo de votação.

O TPS é um evento permanente do calendário de toda a preparação para as eleições brasileiras. O Brasil foi o primeiro país no mundo a fazer esse tipo de teste, abrindo os sistemas eleitorais para que investigadores busquem identificar vulnerabilidades no sistema.

Os investigados selecionados, geralmente, são ligados à área de tecnologia da informação. Em 2021, pela primeira vez, irão participar investigadores de outras áreas, especialmente do Direito. No grupo da IMED, dois integrantes têm formação jurídica: o advogado e docente Vinicius Borges Fortes, pesquisador da área de Direito e Tecnologia há mais de 10 anos, e o bacharel em Direito e estudante do 2º semestre do curso de Ciência da Computação, Adroaldo Leão Souto Júnior.

“O nosso grande propósito é identificar o processo eleitoral como seguro e confiável, tendo a oportunidade de tentar hackear uma urna eletrônica, conhecer a infraestrutura do código-fonte e observar como todo o processo eletrônico de votação acontece. Estamos empolgados em ter essa oportunidade de conhecer a infraestrutura tecnológica de um processo eleitoral tão grandioso como o do Brasil”, destaca Vinicius, docente do Mestrado em Direito da IMED.

A participação do grupo no TPS é uma oportunidade de colocar em prática uma das premissas do curso de Ciência da Computação: a cultura hacker. “Sempre instigamos nossos alunos a serem bons investigadores, a descobrirem brechas e a buscarem vulnerabilidades que possam afetar a confidencialidade, integridade e a própria disponibilidade de dados”, enfatiza o bacharel em Sistemas de Informação Marcos Roberto dos Santos, coordenador do curso de Ciência da Computação da IMED.

Além de colocar em prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula, participar do TPS, para o estudante Juliano Ribeiro Poli, do 4º semestre de Ciência da Computação da IMED, é contribuir com a eficiência do processo eleitoral: “Receber a confirmação dos selecionados para a etapa de análise de código-fonte foi um momento de muita comemoração pelo fato de poder realmente estar contribuindo com a qualidade e a segurança dos processos democráticos do nosso país”.  


Próximas etapas

Após a inspeção dos códigos-fonte, os investigadores poderão encaminhar, até dia 25 de outubro, um Plano Teste, que consiste nos planos de ataque aos componentes internos e externos do sistema, buscando as possíveis vulnerabilidades.

A publicação das inscrições aprovadas para as próximas fases ocorrerá em 26 de outubro, data em que começa o prazo para envio de recursos referentes a essa fase, até o dia 29. O resultado final será divulgado no dia 3 de novembro.

No dia 5, haverá o sorteio público para seleção de inscrições e a publicação da lista de contemplados. Até o dia 08 de novembro, poderão ser apresentados os recursos relacionados e os resultados estarão disponíveis no dia 09.

Após todas as etapas descritas no edital, os aprovados terão a oportunidade de integrar o TPS 2021, que será realizado de 22 a 26 de novembro.

Gostou? Compartilhe