Mais de R$300 mil são retirados de conta bancária do Município de Pontão

A principal suspeita é que o ataque tenha sido feito por hackers. A Polícia Civil vai investigar o caso

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

A Polícia Civil vai investigar uma movimentação nas contas bancárias do Município de Pontão em que foram subtraídos R$ 332 mil, nos dias 28 e 29 de novembro. A principal suspeita é que a invasão tenha sido feita por hackers, já que, de acordo com o Executivo, as transferências não foram realizadas pelo servidor responsável. O boletim de ocorrência foi registrado em Ronda Alta, mas transferido para a 2ª Delegacia de Polícia de Passo Fundo. Além das medidas adotadas para investigação criminal, o Município também já tomou providências junto à instituição bancária de onde o valor foi retirado. 

O prefeito Nelson José Grasselli prestou esclarecimentos aos servidores durante assembleia realizada na tarde de ontem (2), na Câmara de Vereadores. O dinheiro seria utilizado para pagar a folha de novembro dos cerca de 260 funcionários na sexta-feira, último dia útil do mês. A tendência é que o banco devolva o valor nos próximos dias. “Eles [banco] se comprometeram a devolver o valor amanhã ou no máximo quarta-feira se constatado que não houve qualquer culpa da nossa parte e nós temos clareza de que não houve”, enfatizou o procurador de Pontão, Leandro Scalabrin.
Caso o dinheiro demore mais para entrar, Grasselli garantiu que até o quinto dia útil deste mês, o Município vai pagar a folha de praticamente todo o funcionalismo. “Se ficar para trás, será a equipe de governo do primeiro e segundo escalão”, garantiu. O prefeito pontuou que a folha de pagamento sempre foi uma prioridade da gestão e que, por isso, costumeiramente é paga no último dia útil do mês. “O nosso compromisso é com a verdade e com o esclarecimento a toda comunidade. O dinheiro não estava no cofre da prefeitura. O dinheiro estava no cofre do banco. A gente confia na honestidade da equipe e na responsabilidade que a nossa gestão tem”, destacou.
O valor foi retirado de contas onde o Município recebia recursos do Fundo de Participação Município (FPM), FUNDEB, entre outros. O procurador pontuou que a partir das conclusões da investigação criminal e da apuração feita pela instituição bancária, o Município pode estudar medidas judiciais como forma de reparação.

Mormaço
Esse não é o primeiro caso de dinheiro retirado de contas bancárias de prefeituras. Na quarta-feira (27), um funcionário da prefeitura de Mormaço recebeu uma ligação pedindo para fazer uma atualização da Secretaria da Fazenda na instituição bancária. No dia seguinte, foi verificado que R$ 232 mil haviam sido retirados. A Polícia Civil também investiga o caso.

Gostou? Compartilhe