Centro de Fertilidade do Hospital Moinhos oferece painel genético pré fertilização

Pesquisa de portador permite avaliar a probabilidade de mais de 300 doenças hereditárias recessivas antes do cruzamento dos gametas

Por
· 1 min de leitura
Divulgação/ON Divulgação/ON
Divulgação/ON

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A maioria dos casais que tenta engravidar, e busca os serviços de fertilidade e reprodução assistida, se preocupa com a possibilidade de doenças genéticas no bebê. Quase todas as pessoas são portadoras de alguma alteração nos genes, mas nem todas manifestam. Por isso, mesmo quando não existe histórico familiar, sempre há uma pequena chance de a criança ter uma patologia hereditária, como fibrose cística e atrofia muscular espinhal, por exemplo.

As patologias genéticas representam 20% da mortalidade infantil nos países desenvolvidos. Na maioria dos casos, os casais não sabiam do risco e as mutações foram herdadas de várias gerações. Mas existem testes para avaliar se a pessoa é portadora de um gene que aumente o risco de o bebê ter algumas doenças hereditária. A escolha do exame indicado depende da história pessoal, familiar, origem étnica e de orientação médica.

O chefe do Serviço de Fertilidade e Reprodução Assistida do Hospital Moinhos de Vento, Eduardo Pandolfi Passos, ressalta que o aumento na procura por clínicas de fertilização fez o assunto ganhar destaque. “Como cresceu a importação de material genético, seja óvulo ou sêmen, e os gametas de doadores já vem com essas informações, os pacientes querem ter acesso também ao seu painel genético. Com as informações se são ou não portadores de doenças hereditárias, é possível verificar a compatibilidade com o doador e até do casal e avaliar os riscos antes da fertilização”, pontua o ginecologista.

 Serviço pioneiro dá mais segurança na tomada de decisão

O Centro de Fertilidade é o primeiro do sul do Brasil a oferecer o exame de painel genético. A investigação avalia a probabilidade de mais de 300 doenças hereditárias recessivas antes do cruzamento dos gametas. “A diferença da pesquisa de portador para os outros testes genéticos disponíveis no mercado, é que permite verificar a compatibilidade dos pais ou de um paciente e o doador de gametas antes da fertilização. Todos os outros estudos oferecidos hoje só são possíveis com o embrião já formado ou com a gestação em andamento. Com o painel genético, já começamos eliminando esse dilema ético”, explica a coordenadora do centro, Isabel de Almeida.

O exame é feito a partir da coleta de amostras da saliva do paciente. O resultado fica pronto em até três semanas. O custo é baixo, semelhante ao valor que se paga por um exame de sangue comum. O serviço conta com psicólogo e geneticista para aconselhamento pré e pós teste.

Gostou? Compartilhe