Nutricionistas alertam para os exageros de confraternizações de final de ano

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Qualquer atividade relacionada a confraternização requer devida atenção, já que estamos suscetíveis a perder o controle de nossas ações, principalmente quando envolve a nossa alimentação. Para a Nutricionista Coordenadora de Nutrição, Natasha Rodegheri e a Nutricionista Vanessa Bertoni do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), de Passo Fundo, quando nos reunimos em confraternizações, nosso foco se volta para as interações com as outras pessoas e, geralmente, não prestamos atenção nos alimentos que estamos consumindo. 

As profissionais relatam que a nossa cultura está muito relacionada com comemorações por meio de comidas e bebidas alcoólicas, principalmente nessa época do ano. “Isso acontece muito nesse momento do ano, em que temos muitas confraternizações em um curto período e não prestamos atenção no que e quanto estamos comendo, facilitando assim, os exageros alimentares e de bebidas alcoólicas”, explicam. Todo exagero pode oferecer risco à saúde, “quando relacionado ao consumo de alimentos nas festas de final de ano, o exagero causar desconforto gastrointestinal como refluxo, dor abdominal e diarreia e ao associar uma má alimentação no dia a dia com os exageros de final de ano, aumentamos o risco de desenvolvimento de doenças como a obesidade”, alertam as nutricionistas. 

Bebidas alcoólicas

O consumo frequente de bebidas alcoólicas pode agredir órgãos como o fígado e o pâncreas. As profissionais pontuam que ao realizar o consumo dessas bebidas, deve-se lembrar que o álcool é considerado “caloria vazia”, pois “oferece uma quantidade considerável de calorias e nenhum nutriente essencial. Quando misturamos bebidas alcóolicas com outros ingredientes como acontece na caipirinha, batidas de frutas e drinks, podemos alcançar um somatório de 350 a 500 kcal por copo de bebida. Por isso, o consumo exagerado de bebidas alcóolicas pode ser prejudicial para a saúde”, destacam.


Cuidados 

As nutricionistas orientam o consumo moderado de alimentos gordurosos e açucarados, sempre observando a quantidade que se está colocando no prato. Outra coisa importante é “não fazer compensações restritivas em casos de exageros, pois toda restrição pode gerar compulsões. Lembrar de consumir cerca de 2 litros de água por dia, inclusive nos dias de confraternizações, pois a bebida alcoólica não substitui a água, além de que o consumo de álcool pode levar a desidratação”, ressaltam.

Ainda, se não foi possível cuidar da alimentação e tiver exagerado, é fundamental dar seguimentos aos hábitos saudáveis de vida, como praticar atividade física regularmente, realizar atividades de lazer e optar por alimentos saudáveis no dia a dia. 


Cuidados para a realização da ceia

As profissionais salientam que a escolha dos produtos para a ceia deve ser feita pensando em alimentos menos gordurosos e açucarados. Para isso, sugere-se evitar a adição de bacon e calabresa nas preparações como na lentilha e na farofa e açúcar na salada de frutas. Também é possível adicionar mais vegetais in natura no salpicão e no arroz à grega, elaborar saladas variadas com vegetais cozidos e crus. E, para enriquecer o teor de nutrientes, podem ser adicionadas frutas diversas como manga, morango, abacaxi, kiwi e abacate nas saladas, deixando assim seu prato muito mais saboroso e saudável.

A casca do abacaxi, se bem higienizada, pode ser utilizada para fazer um chá gelado ou um suco para acompanhar a ceia. Dica: adicionar folhas de hortelã, vai ficar saboroso e auxiliar na digestão.

Para temperar as carnes, evite temperos industrializados e dê preferência aos temperos naturais como alecrim (ideal para carnes, peixes e batatas), orégano, sálvia (para carnes e aves), pimentas, cebolinha, salsa, alho, cebola, dentre outros. Além de saborosos, são ricos em substâncias que auxiliam no metabolismo.


Gostou? Compartilhe