Rede de câmaras refrigeradas do Estado garante capacidade para distribuição das vacinas da Covid-19

Ao todo, são 96 equipamentos em funcionamento em todas as regionais da SES

Por
· 1 min de leitura
Foto: Divulgação SESFoto: Divulgação SES
Foto: Divulgação SES
Você prefere ouvir essa matéria?

A Secretaria da Saúde (SES) distribuiu, desde dezembro, 43 novas câmaras frias para a conservação de vacinas às 18 coordenadorias regionais, antecipando a logística para a vacinação contra a Covid-19 neste ano. Ao todo, são 96 equipamentos em funcionamento em todas as regionais da SES, cobrindo todos os municípios do RS. Somada à estrutura da Central Estadual de Distribuição e Armazenamento de Imunobiológicos (Ceadi), em Porto Alegre, a capacidade total de armazenamento é para até 10 milhões de doses.

Apesar desse porte, a previsão é que esse volume não precise ser alcançado, já que são previstos lotes em menor quantidade e que pouco ficarão armazenados, sendo de imediato distribuído aos municípios. A capacidade também garante a sequência, em paralelo, do atendimento da rede às demais vacinas e imunobiológicos previstos nos calendários de vacinação de crianças e adultos.

Assim que as doses chegam ao Estado, seguem para a Ceadi. No local, é feita a separação para as regionais, de acordo com critérios populacionais dos grupos a serem vacinados e de acordo com o volume recebido. Do local, partem os caminhões para as 17 regionais do interior, para a regional com sede na capital e para a central de armazenamento da Secretaria de Saúde de Porto Alegre. As informações são da Agência Estado RS.

Com o objetivo de garantir agilidade ao processo, também estão previstas entregas diretas para os dois maiores municípios de cada regional. Assim, o cronograma seria de 55 destinos para o envio: 18 coordenarias e 37 municípios. Os municípios que não receberem diretamente o seu lote, farão a retirada na regional de sua abrangência de acordo com a agenda programada.

O tempo estimado entre as chegadas das doses ao Rio Grande do Sul, a separação, envio para municípios e regionais e o abastecimento das cerca de 1,8 mil salas de vacinas é de menos de uma semana, podendo ser menor de acordo com as distâncias para a capital e os cronogramas de distribuição. Esse fluxo já é uma prática da Secretaria Estadual da Saúde e dos municípios em ocasiões de outras campanhas. Na vacinação da gripe em 2020, por exemplo, o Estado recebeu um primeiro lote de 630 mil doses, que dentro desse prazo já estavam à disposição nas 497 cidades gaúchas.


Gostou? Compartilhe