Primeiras doses da vacina Oxford/AstraZeneca chegam ao estado

As 116 mil novas doses servirão para vacinar 116 mil pessoas

Por
· 1 min de leitura
A entrega ocorreu neste domingo (24) (Foto: Gustavo Mansur/Divulgação)A entrega ocorreu neste domingo (24) (Foto: Gustavo Mansur/Divulgação)
A entrega ocorreu neste domingo (24) (Foto: Gustavo Mansur/Divulgação)
Você prefere ouvir essa matéria?

As primeiras doses da vacina Oxford/AstraZeneca já chegaram ao Rio Grande do Sul. O lote de 116 mil doses chegou na manhã deste domingo (24). Entre segunda e terça-feira (26) o estado irá distribuir as vacinas pelas regiões do RS. Ainda não foi divulgado o quantitativo de doses recebidas por cada região e muncípio. Esse lote será direcionado ao grupo de trabalhadores da saúde, priorizando aqueles que estão na linha de frente no atendimento às pessoas com a doença.


As doses fazem parte do lote de 2 milhões de doses desenvolvidas em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) que chegaram ao país na sexta-feira (23). Desta vez o estado não reservará doses para a segunda aplicação. As 116 mil novas doses servirão para vacinar 116 mil pessoas. A segunda dose da vacina será aplicada em 12 semanas, quando há previsão de novo repasse dessa vacina por parte do Ministério da Saúde.

Logística

As doses chegaram a Porto Alegre por volta das 9h30, em voo vindo do Rio de Janeiro. A carga foi levada à Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Ceadi) da SES. A distribuição para as 18 coordenadorias regionais de saúde (CRS) será feita por transporte rodoviário e aéreo, com o apoio da frota de aviões e helicópteros da Secretaria da Segurança Pública do Estado. Foram recebidas 11,6 mil frascos, sendo que cada um com capacidade para a aplicação de 10 doses.

Com a chegada deste lote, será possível vacinar com a primeira dose cerca de 61% dos trabalhadores da saúde, cerca de 254 mil de um total estimado de 417 mil pessoas. Nesta fase, a prioridade entre esse público seriam aqueles profissionais que estão mais expostos ao vírus, no atendimento a pessoas com a doença ou a suspeita em UTI, na rede de urgência e emergência (Samu e Unidades de Pronto Atendimento), ambulatórios de Covid-19, entre outros.

Notícia atualizada às 15h30 com informações da SECOM/RS

Gostou? Compartilhe