MEDICINA & SAÚDE - O uso de máscaras dificulta a sua audição?

Sem a leitura labial, ficou mais difícil compreender o que está sendo dito apenas para os ouvidos

Por
· 1 min de leitura
Foto – Alexandra Koch/PixabayFoto – Alexandra Koch/Pixabay
Foto – Alexandra Koch/Pixabay
Você prefere ouvir essa matéria?

O hábito da leitura orofacial foi modificado pelo uso das máscaras de proteção. Quem explica uma das razões porque isso pode acontecer é a médica otorrinolaringologista do Hospital de Clínicas (HC) de Passo Fundo, Dra. Thaís Marques da Costa. “Saiba que isso ocorre porque fazemos a leitura orofacial (leitura labial ou leitura da fala), que é feita por todos nós de forma inconsciente ao nos comunicarmos, porém, com o uso das máscaras no nosso dia a dia esse ato se tornou mais difícil, deixando a responsabilidade de compreender o que está sendo dito apenas para os ouvidos”.


Perda auditiva

Em pessoas que possuem algum grau de perda auditiva, a dificuldade de compreensão é acentuada pelo uso de máscaras, já que a região dos lábios não está visível. “A perda auditiva ocorre de forma gradual e por isso mesmo não nos atentamos a ela em um primeiro momento. Agora, com o uso das máscaras temos uma oportunidade de observar essa dificuldade no começo. E assim, é fundamental investigar se ocorre algum grau de perda auditiva o quanto antes, pois dessa maneira serão maiores as chances de recuperação”, ressalta a médica. 


Avaliação

Avaliar a audição é importante para o tratamento precoce das doenças relacionadas a esta área. “Crianças em idade escolar e maiores de 50 anos devem fazer a avaliação auditiva todos os anos. Adultos que trabalham exposto ao ruído, também, precisam fazer avaliação regularmente. A audição é avaliada através de um exame indolor e que seja chama audiometria. O exame é realizado em uma cabine, com o auxílio de fones de ouvido, que emitem alguns tipos de sons na orelha e o paciente responde a cada vez que escuta esses sons”, orienta Thais.


Dra. Thaís Marques da Costa é médica otorrinolaringologista, membro do corpo clínico do Hospital de Clínicas de Passo Fundo



Gostou? Compartilhe