Diretor-geral da OMS e ministro falam de aumentar produção de vacina

Ministro da Saúde do Brasil disse que encontro foi produtivo

Por
· 1 min de leitura
Foto: FiocruzFoto: Fiocruz
Foto: Fiocruz
Você prefere ouvir essa matéria?

O diretor-geral da Organização Mundia da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus e o ministro da Saúde do Brasil, Marcelo Queiroga, , reuniram-se neste domingo (5) e conversaram sobre o aumento da produção e compartilhamento da vacina covid-19 no Brasil e na América Latina.  

Em suas redes sociais, Tedros disse que as duas autoridades também trataram de assuntos como a variante Delta, a necessidade de controlar a transmissão e a condição pós-covid-19, conforme relatou na postagem.

Segundo o diretor da OMS, ele e Queiroga concordaram sobre a necessidade de apoiar as mulheres nas profissões da saúde.

Em suas redes sociais, o ministro da Saúde brasileiro agradeceu ao presidente da OMS pelo encontro produtivo. "Tive o prazer de compartilhar com você o sucesso do programa brasileiro de vacinação contra a covid-19 e a expansão de nossa capacidade de produção local!"

Nota divulgada pelo Ministério da Saúde informou que o encontro ocorreu na manhã deste domingo, em Roma, após a abertura da reunião com os ministros da Saúde do G20.

De acordo com informações da pasta, Tedros Adhanom apresentou a Queiroga o panorama de discussões a respeito de eventual instrumento internacional sobre pandemias e pediu o apoio brasileiro ao projeto. O ministro brasileiro reconheceu a importância da iniciativa e do fortalecimento dos sistemas de saúde nacionais como medida para melhor prevenção, prontidão e resposta para qualquer emergência sanitária.

“Gostaríamos de sugerir a criação de um Grupo de Trabalho no âmbito da OMS para auxiliar os Estados na preparação dos sistemas nacionais de saúde ao cenário pós-Covid. A OMS poderia contribuir por meio de sugestão protocolos de tratamento e diagnóstico para pacientes e por meio do compartilhamento de experiências de centros de referência de reabilitação”, sugeriu o ministro, segundo nota do ministério.


Gostou? Compartilhe