Liga de Psiquiatria da UPF realiza atividade em Comunidade Terapêutica

A ação abordou a temática “Vamos falar sobre suicídio?” e teve o objetivo de alertar sobre a importância de cuidar da saúde mental e as formas de prevenção

Por
· 1 min de leitura
A ação buscou alertar sobre a importância de cuidar da saúde mental (Foto: Divulgação)A ação buscou alertar sobre a importância de cuidar da saúde mental (Foto: Divulgação)
A ação buscou alertar sobre a importância de cuidar da saúde mental (Foto: Divulgação)
Você prefere ouvir essa matéria?

Os acadêmicos que integram a Liga de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de Passo Fundo (FM/UPF) desenvolveram, na quarta-feira, 22 de setembro, uma atividade com os residentes da Comunidade Terapêutica Maanaim. A ação abordou a temática “Vamos falar sobre suicídio?” e teve o objetivo de alertar sobre a importância de cuidar da saúde mental e as formas de prevenção.

Segundo a professora Maria Lucia Dal Magro, que acompanhou os estudantes na atividade, o tema suicídio deve ser abordado com cautela, mas também com informação, que é um dos principais instrumentos para esclarecer mitos e lutar contra o estigma e o preconceito. “É preciso salientar a importância do desenvolvimento de ações voltadas a esta temática no intuito de prevenir e promover a saúde mental da população, não somente na campanha Setembro Amarelo, mas em todas as práticas de saúde”, afirma a professora.

A entidade atua no apoio e tratamento de dependentes químicos e acolhe, em média, 45 pessoas, que participaram efetivamente da atividade relatando experiências vividas e tirando dúvidas. “Esta proximidade entre acadêmicos e comunidade é de grande valia para a formação médica humanística”, pontua a docente.


Setembro Amarelo

A campanha Setembro Amarelo teve início no Brasil em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), por meio de identificação de locais públicos e particulares com a cor amarela e ampla divulgação de informações. A campanha conta com o apoio da Fundação Universidade de Passo Fundo (FUPF) que, além de ações institucionais, oferece espaços de escuta e acolhimento a toda a comunidade.

Gostou? Compartilhe